[História] 15 grandes jogos do passado que serão reeditados na fase de grupos da Champions

O sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões 2017/18 prometia bastante. E cumpriu as expectativas, com vários jogões marcados para as próximas semanas. Muitos deles, com passado extenso nas copas europeias. Há a reedição de finais e de outros duelos marcantes – algo natural, diante do choque entre tantas camisas pesadas. Abaixo, fizemos uma seleção de 15 jogos antigos que se repetirão nesta Champions. Priorizamos o peso dos confrontos e também a antiguidade, dando destaque àquilo que está mais empoeirado nas prateleiras da memória. Além disso, não repetimos nenhum confronto, para dar mais variedade aos times. Uma viagem pela história das competições continentais, relembrando embates não só pela Champions, mas também por Supercopa, Recopa, Liga Europa, Copa da Uefa e até pela Taça das Cidades com Feiras. Confira:

Manchester United 4×1 Benfica – Final da Champions 1967/68

O primeiro título continental do Manchester United foi conquistado justamente em cima do Benfica. Os Red Devils já haviam eliminado os portugueses dois anos antes, nas quartas de final, mas caíram logo depois para o Partizan Belgrado. E o time de Matt Busby voltou a triunfar sobre os encarnados, de Eusébio e Coluna, em Wembley. Após o empate por 1 a 1 no tempo normal, os ingleses balançaram as redes três vezes na prorrogação. Bobby Charlton, George Best e Brian Kidd deixaram os seus. Enorme façanha, considerando a trajetória após o desastre aéreo de Munique.

Bayern de Munique 5×0 Anderlecht – Quartas de final da Champions 1986/87

Duas potências nacionais que se cruzaram duas vezes nas quartas de final da Copa dos Campeões em meados dos anos 1980. Em 1985/86, depois de perder o jogo de ida por 2 a 1, o timaço do Anderlecht reverteu a situação com o triunfo por 2 a 0 – gols de Enzo Scifo e Per Frimann. Caíram nas semifinais, contra o Steaua Bucareste. Na temporada seguinte, seria a vez do troco do Bayern. E sem piedade. No jogo de ida, o time de Udo Lattek goleou por 5 a 0. Dieter Hoeness, Hans Pflüger, Michael Rummenigge e Roland Wohlfarth anotaram os gols. Na volta, o empate por 2 a 2 foi suficiente aos bávaros, que sucumbiram apenas na decisão contra o Porto.

Bayern de Munique 0x1 Paris Saint-Germain – Fase de grupos da Champions 1994/95

O PSG viveu sua melhor campanha na Champions em 1994/95, alcançando as semifinais, eliminado pelo Milan. E a temporada histórica teve um de seus grandes momentos com as vitórias sobre o Bayern de Munique. Logo em sua estreia na fase de grupos, o time de Luis Fernandez mostrou a que veio e derrotou os bávaros por 2 a 0, gols de George Weah e Daniel Bravo. Já no reencontro em Munique, nova comemoração parisiense, desta vez com um dos gols mais bonitos da carreira de George Weah. O liberiano assegurou o 1 a 0 com um tento que explica bastante por que ele ganharia a Bola de Ouro no ano seguinte.

Celtic 0x3 Paris Saint-Germain – Oitavas de final da Recopa 1995/96

Se ficou no quase em 1995, o Paris Saint-Germain ergueria sua primeira taça continental em 1996, campeão da antiga Recopa Europeia. E entre as primeiras vítimas dos franceses esteve justamente o Celtic. O duelo aconteceu pelas oitavas de final. Na ida, Youri Djorkaeff abriu o caminho com a vitória simples no Parc des Princes. Já no Parkhead, os parisienses engoliram os alviverdes por 3 a 0, com dois tentos de Patrice Loko e outro de Pascal Nouma. Na sequência, o PSG passaria por Parma e Deportivo de La Coruña, até ser campeão contra o Rapid Viena.

Roma 1×2 Atlético de Madrid – Quartas de final da Copa da Uefa 1998/99

Um momento interessante de ambos os clubes, embora a ascensão da Roma se combinasse com o declínio do Atlético de Madrid. Naquele momento, entretanto, os colchoneros dominaram o duelo pelas quartas de final da Copa da Uefa. Ganharam no Vicente Calderón e repetiram o placar no Estádio Olímpico. Carlos Aguilera e Roberto anotaram os gols da virada na Itália, que carimbou a passagem às semifinais. Todavia, os italianos se vingariam, com o Parma passando o trator sobre o Atleti.

Atlético de Madrid 4×1 Chelsea – Supercopa Europeia de 2012

Fugindo um pouco do óbvio encontro pelas semifinais da Champions de 2014, com a classificação do Atlético de Madrid, os colchoneros também já haviam detonado os Blues dois anos antes. O campeão da Liga Europa não tomou conhecimento dos então donos da Orelhuda, com a goleada por 4 a 1 no Estádio Louis II. Radamel Falcao García viveu uma jornada particularmente inspirada, anotando três gols, enquanto Miranda complementou aos rojiblancos. Noite impecável do Tigre de Santa Marta.

Chelsea 4×1 Roma – Taça das Cidades com Feiras de 1965/66

Uma das primeiras vitórias do Chelsea em competições europeias aconteceu justamente contra a Roma, pela antiga Taça das Cidades com Feiras, precursora da Copa da Uefa. Logo na primeira fase, os Blues não deram chances aos romanistas. Goleada por 4 a 1 em Stamford Bridge, com três tentos do ídolo Terry Venables, incluindo uma pintura de voleio. George Graham complementou a diferença, enquanto Paolo Barison descontou. O empate por 0 a 0 na Itália carimbou o passaporte dos ingleses, eliminados apenas nas semifinais pelo Barcelona.

Juventus 1×1 Barcelona – Quartas de final da Champions 1985/86

Atual campeã continental, a Juve contava com um timaço. Michel Platini, Michael Laudrup e Antonio Cabrini eram algumas das estrelas dos bianconeri, comandados por Giovanni Trapattoni. Do outro lado, o Barcelona de Terry Venables retornava ao principal torneio continental após um hiato de 11 anos. E conseguiu derrubar os favoritos. Julio Alberto decidiu no Camp Nou, enquanto Platini e Steve Archibald anotaram os gols no Stadio Comunale, em empate que classificou os blaugranas. Os catalães foram vice-campeões naquela temporada, com a traumática derrota nos pênaltis para o Steaua Bucareste em Sevilla.

Juventus 2×1 Olympiacos – Quartas de final da Champions 1998/99

O Olympiacos protagonizou sua melhor campanha na história da Liga dos Campeões. Derrubou Croatia Zagreb, Porto e Ajax na fase de grupos, até encarar a Juventus nas quartas de final. Mas os gregos não foram páreos ao esquadrão estrelado por Zinedine Zidane. A Velha Senhora decidiu o confronto já em Turim, com a vitória por 2 a 1, tentos de Pippo Inzaghi e Antonio Conte. Andreas Niniadis descontou para a Thrylos. Já em Pireu, a Juve festejou com o empate por 1 a 1. Não teria vida longa: o Manchester United foi o algoz nas semifinais.

Liverpool 1×3 Sevilla – Final da Liga Europa 2015/16

O encontro mais recente desta lista merece seu lugar pela importância. O Sevilla confirmou seu tricampeonato na Liga Europa, erguendo a taça pela quinta vez, contra o Liverpool. O time de Jürgen Klopp tentava retornar ao topo das competições europeias, e até abriu o placar com Daniel Sturridge, mas não teve jeito. O capitão Coke teve uma atuação de gala no segundo tempo, anotando dois gols, enquanto Kevin Gameiro marcou o outro.  Festa dos andaluzes na Basileia, fechando com chave de ouro a era de Unai Emery no Ramón Sánchez-Pizjuán.

Spartak Moscou 4×2 Liverpool – Oitavas de final da Recopa 1992/93

O Liverpool voltava a se recolocar no cenário internacional. Na temporada anterior, de volta após a suspensão causada pelo Desastre de Heysel, os Reds caíram nas quartas de final da Copa da Uefa. Já na segunda empreitada neste novo momento, acabaram esmagados pelo Spartak Moscou, que construíam sua hegemonia na Rússia recém-independente. Valery Karpin comandou o baile em Moscou, anotando dois tentos na vitória por 4 a 2. E os alvirrubros voltaram a triunfar em Anfield, por 2 a 0. Cairiam nas semifinais, para o Royal Antuérpia.

Napoli 2×1 Manchester City – Fase de grupos da Champions 2011/12

De volta à Liga dos Campeões após 43 anos, o Manchester City não foi muito feliz naquela temporada. Acabou na terceira colocação de sua chave, atrás de Bayern e Napoli. Pois os italianos não deram mole para os novos ricos. O resultado definitivo aconteceu na penúltima rodada, dentro do San Paolo. Edinson Cavani ditou o ritmo da noite, balançando as redes duas vezes, enquanto Mario Balotelli anotou o gol dos Citizens. Os partenopei terminaram na segunda colocação, eliminados pelo Chelsea no emblemático duelo das oitavas de final.

Porto 3×0 Monaco – Final da Champions 2003/04

O Porto sempre vai representar um pesadelo ao Monaco. Afinal, por mais que os alvirrubros tenham contado com elencos melhores na Champions, nunca o clube esteve tão próximo da taça quanto em 2004. Depois de superarem Real Madrid e Chelsea nas etapas anteriores, os monegascos nem sentiam tantos calafrios diante dos portistas. Ledo engano. O time de José Mourinho também tinha muitos predicados, superando Manchester United, Lyon e Deportivo. Por fim, não tomou conhecimento dos oponentes na final em Gelsenkirchen. Vitória por 3 a 0, com gols de Carlos Alberto, Deco e Alenichev. Pela segunda vez, os lusitanos subiam ao topo do pódio.

Real Madrid 2×0 Borussia Dortmund – Semifinais da Champions 1997/98

São 12 jogos entre os dois clubes pela Champions, oito deles nos últimos cinco anos. E a rivalidade já começou grande, nas semifinais em 1997/98. Atual campeão, o Borussia Dortmund não vivia uma temporada tão boa, mas ainda tinha uma equipe forte. O Real Madrid, por outro lado, vinha em ascensão e buscava quebrar a seca no torneio que durava 32 anos. Preponderou a vontade merengue, que decidiu o confronto logo no Santiago Bernabéu. Fernando Morientes e Christian Karembeu anotaram os gols, antes do empate zerado no Westfalenstadion. Na decisão, Predrag Mijatovic garantiu a história contra a Juventus.


1998 (April 1) Real Madrid (Spain) 2-Borussia… por sp1873

Tottenham 0x1 Real Madrid – Quartas de final da Copa da Uefa 1984/85

Praticamente uma troca de faixas aconteceu nas quartas de final da Copa da Uefa 1984/85. Campeão no ano anterior, o Tottenham foi eliminado pelo Real Madrid, que se tornaria bicampeão do torneio. A classificação dos merengues é que não foi tão gloriosa. A vitória por 1 a 0 em White Hart Lane foi assegurada pelo gol contra de Steve Perryman, seguida por um empate sem gols no Bernabéu. O time de Butragueño, Valdano, Stielike e Míchel bateria Internazionale e Videoton na sequência da competição, ficando com o troféu.