Marcelo termina temporada com 14 assistências, melhor marca da sua carreira pelo Real

Por Bruno Bonsanti

Marcelo pegou a bola na ponta esquerda, deixou Lemina para trás e percorreu a linha de fundo. Tocou para trás e Asensio apareceu para marcar o quarto gol do Real Madrid contra a Juventus, na final da Champions League. Ao fazer isso, o lateral esquerdo brasileiro chegou a 14 assistências nesta temporada, a melhor marca da sua carreira em dez anos e meio de dedicação à camisa branca.

LEIA MAIS: Real Madrid teve a força para se impor e fazer história: bicampeão da Champions

A temporada de Marcelo foi excepcional. Ele foi um dos melhores jogadores da equipe treinada por Zidane nas conquistas do Campeonato Espanhol e da Champions League, talvez atrás apenas de Cristiano Ronaldo. Coroou-a influenciando mais uma decisão europeia, depois de ter marcado contra o Atlético de Madrid em 2014. Tem aparecido ainda mais do que o normal no ataque e está em boa fase técnico, o que se reflete em suas estatísticas.

Mês passado, Zidane colocou Marcelo entre os quatro melhores jogadores da sua posição e tem sabido usar muito bem suas qualidades ofensivas, deixando-o atuar quase como um homem extra no seu meio-campo. Com dez passes para gol no Campeonato Espanhol, o brasileiro foi o terceiro melhor assistente de La Liga.

Até a atual temporada, a época em que Marcelo melhor foi garçom havia sido em 2011/12, com dez passes decisivos. Na sequência, aparecem 2009/10, 2010/11 e 2014/15, com nove.

Veja os números* de Marcelo:

2016/17 – 14
2015/16 – 4
2014/15 – 9
2013/14 – 8
2012/13 – 1 (machucado, atuou apenas 19 vezes)
2011/12 – 10
2010/11 – 9
2009/10 – 9
2008/09 – 3
2007/08 – 3
2006/07 – 0 (chegou em janeiro)

Total: 70 assistências em 408 jogos, além de 28 gols.

*Números do site Transfermarkt

Mais final da Champions:

Em sua quarta Champions, Cristiano Ronaldo tem sua final mais grandiosa: decisivo e letal

O trabalho sem a bola, um dos pontos fortes da Juventus, fraquejou justamente na final

Allegri não soube reagir ao jogo e viu a Juventus derreter diante do Real Madrid

Zidane: um bicampeão europeu discreto e muito eficiente