No grupo mais equilibrado da Champions, o Besiktas já arranca uma vitória gigantesca no Porto

Experiência não é um problema ao Besiktas na Liga dos Campeões. O elenco de Senol Günes é recheado de veteranos e, nesta quarta, seis jogadores acima dos 30 anos de idade apareceram no 11 inicial, enquanto outros dois saíram do banco durante o segundo tempo. E a tarimba já garantiu uma vitória excelente aos alvinegros. O Besiktas derrotou o Porto dentro do Estádio do Dragão, conquistando três pontos que podem fazer a diferença em uma chave tão equilibrada como o Grupo G. Além dos “velhinhos”, dois nomes fundamentais na vitória por 3 a 1 foram Cenk Tosun e Anderson Talisca. Protagonistas em uma equipe que merece mais atenção nesta Champions.

O crime do Besiktas em Portugal começou a se desenhar logo aos 13 minutos. Ricardo Quaresma fez a “lei do ex” valer com uma assistência na cabeça de Anderson Talisca, livre dentro da área. O Porto deu um sinal de reação logo na sequência, primeiro com uma bola na trave de Óliver Torres, antes que Dusko Tosic marcasse contra, aos 21. Entretanto, os turcos retomariam a dianteira aos 28, em um chutaço de Cenk Tosun. O centroavante, em ótima fase desde a temporada passada, arriscou do meio da rua e Iker Casillas aceitou. Durante o segundo tempo, os portistas tentaram buscar de novo a igualdade e bombardearam a meta de Fabri. Contudo, os alvinegros marcariam novamente, fechando a conta aos 41, com Ryan Babel – em outro lance em que Casillas deixou a desejar.

Graças à vitória, a liderança caiu no colo do Besiktas. No outro jogo do Grupo H, RB Leipzig e Monaco empataram por 1 a 1 na Red Bull Arena. Os Touros Vermelhos marcaram seu primeiro gol na história da Champions aos 32 minutos, em chute forte de Emil Forsberg entre Diego Benaglio e a trave. No entanto, o Monaco empataria dois minutos depois. Após cruzamento na área, Youri Tielemans tentou duas vezes até conseguir mandar a bola para dentro. Dominando as ações ofensivas, o Leipzig ainda teve um gol bem anulado pela arbitragem no segundo tempo.

Com um time em transição e menos badalado que seus adversários, apesar de ter mais tradição que qualquer outro, o Porto parece um passo atrás no Grupo G. O Monaco seria o teórico favorito, mas as inúmeras perdas no mercado de transferências deixam as suas interrogações, apesar do bom início (até a goleada do Nice) na Ligue 1. O RB Leipzig tem potencial, ainda que seu jovem elenco lide com uma exigência inédita com duas competições pesadas. E o Besiktas, que pode passar abaixo no radar, se aproveita. Na Champions passada os bicampeões turcos ficaram na fase de grupos, mas não foram mal, caindo por culpa do excesso de empates e da derrota sofrida na última rodada, sua única. Desta vez, já conquistam três pontos que valem ouro.