A noite infeliz de Jemerson contrastou com a redenção de Werner na Champions

A Alemanha não tinha muitos motivos para se sentir confiante nesta Liga dos Campeões. O RB Leipzig, entretanto, conquistou o resultado mais contundente para os representantes da Bundesliga na competição, ressurgindo na luta por um lugar nas oitavas de final. O Monaco pode não ser o mesmo da temporada passada, mas poucos apostariam em uma vitória tão contundente dos Touros Vermelhos: dentro do Estádio Louis II, golearam os anfitriões por 4 a 1, anotando todos os gols ainda no primeiro tempo. Grande noite especialmente de Timo Werner, que passou maus bocados na competição, mas já tinha marcado contra o Porto e chamou toda a responsabilidade desta vez.

A goleada do Leipzig dependeu também dos erros defensivos do Monaco. Sobretudo, da atuação falível de Jemerson. O primeiro gol veio em uma bola que o zagueiro brasileiro mandou contra as próprias redes. E, no segundo, ele deu um passe na fogueira para Kevin Kampl bater a carteira. O meio-campista lançou Werner, definindo na saída de Danijel Subasic. Com apenas nove minutos de bola rolando, os Touros Vermelhos já abriam dois tentos de vantagem.

O terceiro gol saiu aos 31, em um pênalti cometido por Radamel Falcao García após cobrança de escanteio. Werner bateu com firmeza e aumentou a diferença. O próprio Tigre descontou para o Monaco, mas era tarde. Antes do intervalo, Naby Keita fechou a conta. O meio-campista recebeu passe de Marcel Halstenberg e girou bonito entre dois marcadores, antes de chutar rasteiro, sem que Subasic pegasse. No segundo tempo, o Leipzig diminuiu o ritmo e substituiu os seus principais jogadores, apenas desfrutando a tranquilidade. Festa grande da torcida alemã, que compareceu em peso e lotou o setor visitante do Louis II.

A situação está aberta para a rodada final do Grupo G. O Besiktas se classificou e já se garantiu na liderança, enquanto Porto e RB Leipzig lutam pelo segundo lugar. Ambos os times somam sete pontos e os portugueses têm vantagem no confronto direto. Assim, precisam apenas vencer o Monaco no Estádio do Dragão ou fazer um resultado similar ao do Leipzig, que recebe o Besiktas na Red Bull Arena. A situação é complicada aos alemães, mas as chances continuam existindo. E, pensando nas possibilidades, ir à Liga Europa não seria tão ruim assim. A equipe de Ralph Hasenhüttl entraria no torneio entre os candidatos a uma grande campanha.

Ao Monaco, resta lamentar. Se o desempenho na Ligue 1 ainda é bom, mesmo não repetindo o aproveitamento da temporada passada ou acompanhando o ritmo do PSG, a decepção na Liga dos Campeões acaba sendo grande. As perdas do elenco ecoaram, por mais que os reforços tenham sido interessantes, dentro das perspectivas possíveis. De qualquer maneira, não há muito como apaziguar a eliminação. Em um grupo equilibrado e acessível, o time de Leonardo Jardim fracassou. Sequer conseguiu uma vitória e perdeu todos os seus três compromissos em casa. O Campeonato Francês é o que resta agora.