Torcida do Apoel aproveitou jogo com o Tottenham para reclamar de “esculturas roubadas pelo Império Britânico”

Por Leandro Stein

O episódio aconteceu na rodada passada da Liga dos Campeões, mas ainda merece atenção. Enquanto Apoel Nicósia e Tottenham se enfrentavam no Estádio GSP, era possível ler claramente duas faixas em inglês nas arquibancadas: “A história não pode ser roubada” e “Tragam os mármores de volta”. Os torcedores greco-cipriotas aproveitaram o encontro com os ingleses para uma clara manifestação político-cultural. Protestavam pelos chamados ‘Mármores de Elgin’, patrimônio histórico da Grécia que atualmente se encontra o Museu Britânico, em Londres.

Produzidas por Fídias e seus assistentes há 2,5 mil anos, as esculturas em mármore compunham o Parthenon e outras construções da Acrópole, em Atenas. As peças sofreram sucessivos danos ao longo dos séculos, sobretudo pelo uso bélico do Parthenon. Em 1801, o local servia de depósito de munições ao Império Otomano, então no controle da região. Foi quando Thomas Bruce, o chamado Conde de Elgin, em sua posição como embaixador do Império Britânico em Constantinopla (atual Istambul),  ganhou permissão para retirar as esculturas de lá. Ao longo de uma década, ele transportou dezenas de mármores rumo à Grã-Bretanha.

Desde aquela época, o episódio já gerou controvérsias. Diante da pressão pública e de sua exoneração, o Conde de Elgin acabou vendendo as peças ao governo britânico em 1816. A partir de então, elas passaram a compor o acervo do Museu Britânico. No entanto, a partir de sua independência do Império Otomano, em 1832, a Grécia começou a reivindicar o retorno das esculturas ao Parthenon. Um imbróglio que se alonga por décadas e que, ainda sem solução, continua causando o debate entre os dois países – reacendido diante do ‘Brexit’.

Ligados culturalmente aos gregos, os cipriotas abraçaram a causa pelo retorno das peças. Além das faixas em protesto, também fizeram um bandeirão com a imagem do Parthenon, posicionado atrás de um dos gols. A discussão é ampla e as diferentes partes tentam apresentar seus argumentos. E ela ganha eco graças ao que acontece dentro de um estádio de futebol.