Brasil e EUA assumem favoritismo, e Canadá é aposta interessante nas quartas de final do futebol feminino

O futebol feminino nos Jogos Olímpicos Rio 2016 vai chegando à reta final com as quartas de final da competição, a serem realizadas nesta sexta-feira (12), em quatro cidades brasileiras. Duas das principais seleções do torneio, Brasil e Estados Unidos concentram o favoritismo nos odds, enquanto o jogo entre Canadá, única equipe com 100% de aproveitamento, e a forte seleção da França pode trazer interessantes retornos dependendo dos palpites dos investidores do OddsShark.com/br.

Sem poder contar com a atacante Cristiane, maior goleadora de toda história das Olimpíadas com 14 gols, que sentiu uma lesão muscular na coxa direita durante a vitória de 5 a 1 sobre a Suécia, a Seleção Brasileira tem uma difícil missão pela frente e vai medir forças com a Austrália. O jogo, marcado para as 22h, no estádio Mineirão, coloca frente a frente o time liderado por Marta, que terminou a primeira fase na liderança do Grupo E com sete pontos, diante das australianas, terceiras colocadas com quatro pontos no Grupo F. Depois de poupar seis titulares no embate que resultou em um morno 0 a 0 com a África do Sul, o técnico Vadão vai para o jogo com as melhores peças que possui no momento.

Com Formiga e Marta em campo, a seleção canarinho é favorita para abocanhar uma vaga nas semifinais do torneio. Por isso, o Brasil lidera os investimentos para o confronto no Odds Shark com cotação de R$ 1,48, o que resultaria em um lucro de R$ 0,48, em caso de vitória brasileira. Segundo os analistas, as Matildas estão cotadas em R$ 6,25, em risco considerado bastante alto, e dando um retorno de R$ 5,25 para cada real investido. O empate paga R$ 4,33.

Quem passar do duelo entre Brasil e Austrália terá, provavelmente, o adversário mais duro e temido dos Jogos Olímpicos Rio 2016: os Estados Unidos. As norte-americanas, francas favoritas para ganhar o quinto ouro em um período de seis Olimpíadas, chegam para as quartas de final após terem garantido o primeiro lugar no Grupo G com sete pontos, sendo duas vitórias (2 a 0 sobre a Nova Zelândia e 1 a 0 sobre a França) e um empate (2 a 2 com a Colômbia). Para o embate contra as europeias, as estadunidenses estão cotadas em R$ 1,43. Porém, se uma zebra passar pelo estádio Mané Garrincha – o que é praticamente descartado pelos investidores –, e as suecas vencerem o time da goleira Hope Solo e da atacante Alex Morgan (considerada a melhor jogadora da atualidade), os investidores ganharão uma bolada. São R$ 6,01 para cada real apostado, o que daria um retorno superior a 600%. Já uma igualdade no placar, considerada de risco médio, é cotada em R$ 4,38.

Mas o jogo mais interessante das quartas de final é o embate entre Canadá e França. Tudo porque a experiente seleção canadense, medalhista de bronze em Londres, vem empolgada para o confronto, com três vitórias seguidas e a liderança do Grupo F. Já a França, que vendeu caro a derrota para os Estados Unidos ainda na primeira fase, leva o favoritismo consigo. De acordo com o OddsShark.com/br, uma vitória francesa está avaliada em R$ 1,73. Caso o Canadá seja o vencedor, o que é uma boa dica para os investidores indecisos e que querem apostar em um confronto nivelado, a cotação é de R$ 4,72. Isso quer dizer que R$ 100 investidos dariam lucro de R$ 372 por real apostado, em caso de triunfo canadense, ou seja, quase 400% de retorno.

Já o embate que mostra maior disparidade nas casas de aposta é entre China, que terminou na vice-liderança do grupo do Brasil, com quatro pontos, contra a Alemanha, também segunda colocada, mas na chave canadense. Apesar de seu futebol ter evoluído nos últimos anos, as asiáticas vão para a partida como francas-atiradoras. Uma vitória chinesa paga R$ 7,22, o maior retorno da rodada. Isso quer dizer que cada real investido terá um retorno de R$ 6,22. Já as alemãs têm uma cotação bem mais modesta, com R$ 1,41. Um empate, avaliado como de risco médio, paga R$ 4,49.

Jogos das quartas de final do futebol feminino na Rio 2016:

12/10, 13h, Mané Garrincha: EUA (R$ 1,43) x Suécia (R$ 7,01); empate (R$ 4,38)
12/10, 16h, Arena Fonte Nova: China (R$ 7,22) x Alemanha (R$ 1,41); empate (R$ 4,49)
12/10, 19h, Arena Corinthians: Canadá (R$ 4,72) x França (R$ 1,73); empate (R$ 3,58)
12/10, 22h, Mineirão: Brasil (R$ 1,48) x Austrália (R$ 6,25); empate (R$ 4,33)