Do favoritismo ao vexame pela não ida à Copa do Mundo: as cotações do amistoso Itália x Holanda

Qualquer pessoa que goste de futebol custa acreditar que duas das principais potências do futebol não estarão logo mais na Rússia. De um lado a Itália, tetracampeã mundial e que dispensa qualquer comentário. Do outro, a Holanda, que com seu futebol para frente, encantou diferentes gerações mesmo batendo na trave em três oportunidades – finalista em 2010 e semifinalista em 2014. Fora da Copa do Mundo que começa no dia 14 de junho, a Azzurra e a Laranja Mecânica se encontram nesta noite, em Turim, em um aparentemente melancólico amistoso, mas que dependendo do resultado pode ser bom começo de projeto, que tem como objetivo a Liga das Nações da Uefa e a Eurocopa 2020. Confira quem arranca como favorito no Allianz Stadium através das cotações do OddsShark.com.

Reconstrução (parte 1)

Falar da Itália é a mesma coisa que falar de Brasil, Alemanha e Espanha como os principais postulantes ao título da Copa do Mundo, seja nas rodas de conversas ou quando vamos investir uma grana nas casas de apostas. Mas quis o destino que depois de 60 anos os tetracampeões mundiais não se classificassem para o torneio na Rússia. O vexame ocorreu na repescagem das Eliminatórias Europeias, quando a Azzurra foi eficiente diante da Suécia. Depois derrota por 1 a 0 em Estocolmo, a seleção italiana não conseguiu reverter o placar no San Siro, em Milão, diante de 70 mil torcedores. O placar de 0 a 0 frustrou todo um país que pulsa futebol e que não sabia o que era ficar de fora de uma Copa desde 1958.

Seis meses se passaram e a Itália sofreu inúmeras alterações. A começar pelo técnico Giampiero Ventura, que deixou o cargo imediatamente após o vexame, e aposentadoria do capitão Gianluigi Buffon. Luigi Di Biagio assumiu o posto temporariamente durante os amistosos de março passado, contra Argentina e Inglaterra, e trouxe o experiente goleiro para ajudá-lo nestes dois duros confrontos. Mas de nada adiantou, derrota para os albicelestes por 2×0 e empate de 1×1 com o English Team.

Demorou, mas no mês passado Roberto Mancini, ex-Internazionale, Manchester City e Zenit, foi oficializado como novo treinador da Azzurra. É com ele que a seleção tetracampeã tenta encontrar o horizonte. E, por isso, o duelo contra a Holanda é fundamental. Após vitória na estreia por 2 a 1 sobre a Arábia Saudita e cair para a França por 3 a 1 no jogo seguinte, a Azzurra precisa de um triunfo convincente, diante de um tradicional adversário, para trazer a confiança e a torcida de volta.

Com o retorno de Mario Balotelli, que soma cinco gols nos últimos seis jogos entre o Nice e a seleção, a Itália entra como leve favoritismo na casa da Juventus. Os odds de R$ 2,37 para cada real investido segundo o OddsShark.com podem ser uma boa pedida para aqueles que acreditam numa “nova Azzurra”.

Reconstrução (parte 2)

Coincidência ou não, a Suécia que bateu a Itália na repescagem foi a mesma que tirou a Holanda dos playoffs. Colocados lado a lado no Grupo A das Eliminatórias ao lado da França, suecos e holandeses brigaram pelo segundo lugar até a última rodada. Mesmo ganhando um jogo na Amsterdã Arena e empatando fora diante do time dirigido por Janne Andersson, a Laranja Mecânica pecou nos dois revezes para os Les Bleus e em outro para a Bulgária.

O pós-eliminatórias holandês foi o mesmo do rival desta noite. Troca de comando: saída de Dick Advocaat e chegada de Ronald Koeman, que assinou contrato até a Copa do Mundo de 2022, no Catar. E não precisamos nem dizer qual é objetivo do ex-técnico do Everton, não é?

Em meio a debandada dos medalhões Arjen Robben e Wesley Sneijder, que se aposentaram da seleção, Koeman tem aproveitado os embates sem compromisso para acreditar de vez em jogadores que vêm há tempos se destacando. É o caso de Quincy Promes, que garantiu o 1 a 1 com a Eslováquia na semana passada e que chegou a marca de 15 em 26 jogos entre o Spartak Moscou e a seleção. Fato é que suas boas exibições têm chamado as atenções de Newcastle e Everton.

Com o veloz atacante, a Laranja Mecânica tenta quebrar uma expressiva marca italiana. A Azzurra está 10 jogos sem ser derrotada em seu país, sendo seis triunfos e quatro empates. O último revés ocorreu em 2016, para a França – 3 a 1 em Bari.

É por isso que odds da Laranja Mecânica são altos, em R$ 3,20 para acabar com a marca rival. Mas é importante lembrar que o empate, resultado que ocorreu em dois dos últimos quatro confrontos entre as duas seleções, paga R$ 3,20.

Confira os odds dos amistosos desta segunda-feira (4 de junho):

12:00 – (R$ 2,62) Índia x Quênia (R$ 2,87); empate (R$ 3,00)
12:00 – (R$ 1,83) Armênia x Moldávia (R$ 4,33); empate (R$ 3,50)
15:00 – (R$ 2,70) Marrocos x Eslováquia (R$ 3,00); empate (R$ 2,90)
15:00 – (R$ 2,40) Sérvia x Chile (R$ 3,30); empate (R$ 3,00)
15:45 – (R$ 2,37) Itália x Holanda (R$ 3,20); empate (R$ 3,20)

Confira outros odds do futebol internacional na Trivela.