França goleia a Islândia, Alemanha bate a Itália com emoção nos pênaltis; definidas as semifinais da Eurocopa 2016

24 seleções desembarcaram na França com a esperança de levantar o troféu da Eurocopa 2016, mas dessas, apenas quatro continuam na disputa: Alemanha, França, Portugal e País de Gales. Os quatro duelos válidos pelas quartas de final da competição europeia apresentaram um bom nível técnico. Alguns foram decididos por detalhes, em outros a superioridade de um time sobre o outro foi latente.

Exatamente o caso do último dos embates, realizado no último domingo (3) no Stade de France, em Paris. Dona da casa, a França recebeu uma surpreendente Islândia, que sonhava em alcançar voos mais altos em solo francês. O sonho nórdico foi desaparecendo na medida em que os gols franceses foram aparecendo. Os comandados de Didier Deschamps praticamente mataram o jogo já na primeira etapa, com quatro gols.

Foi o fim da incrível jornada desse bravo time da Islândia, sensação do torneio até então. O time nórdico fez a festa dos apostadores ao longo da competição, principalmente quando eliminou a Inglaterra. Uma hipotética vitória contra a França pagaria 8,17. Amplo favorito, o triunfo do time francês pagou 1,45 para quem apostou em Pogba e companhia.

Empolgados com um Stade de France completamente lotado, os Franceses dominaram do início ao fim, explorando com inteligência as falhas defensivas da Islândia, que joga em linha. Em boa fase, o atacante Giroud recebeu bom passe de Matuidi e abriu o placar logo aos 12 da etapa inicial, chute por baixo das pernas de Halldórsson. Aos 20, Pogba subiu mais do que todo mundo e ampliou a vantagem de cabeça. Melhor jogador da França na Euro, Payet deixou o dele aos 40, em boa jogada trabalhada do ataque francês. Dois minutos depois, Girezmann aproveitou a atônita defesa islandesa e marcou o quarto gol.

Com a vitória assegurada e pensando na semifinal, a França diminuiu a intensidade na segunda etapa. Já a Islândia voltou mais ofensiva em busca de um improvável empate. Sigthórsson até deu um sopro de esperança diminuindo o placar para 4×1 aos 11, completando cruzamento da direita. Sentimento que durou apenas dois minutos, pois Giroud aproveitou a falha da defesa na bola aérea e marcou o segundo dele na partida. Bjarnason voltou a diminuir aos 39, gol que serviu apenas para dar uma última alegria ao espetacular torcedor islandês no Stade de France.

 

Após 18 cobranças, Alemanha bate a Itália nos pênaltis

 

Não faltou emoção no esperado duelo em Bordeaux no último sábado (02). O embate entre Itália e Alemanha, o mais esperado da Euro até então, ficou no empate de 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, sendo decidido nos pênaltis. Teste para cardíacos.  Após 18 cobranças, os atuais campeões mundiais levaram a melhor, fizeram 6×5 nas penalidades máximas e estão nas semifinais da maior competição do futebol Europeu.

Sim, os alemães avançam, mas não quebraram o jejum de vitórias sobre os italianos em competições oficiais. Antes do jogo de sábado, o histórico era de oito embates entre as potências, com quatro vitórias italianas (todas em mata-mata), e quatro empates (todos em fase de grupos). Apesar da Alemanha ser o time a ser batido no futebol mundial, essa ‘freguesia’ influenciou nas apostas: o melhor odd dava 2,25 em caso de uma vitória alemã (ou seja, a cada 1 real apostado na equipe, você ganha 2,25). Levando em conta que é a atual campeã da Copa do Mundo, é um valor alto.

No fim das contas, se deu bem quem apostou na igualdade entre as equipes, que tinha o melhor odd em 3,01. Um triunfo italiano pagava 4,03. No início da partida se pôde ver o porquê. Ao contrário das primeiras apresentações na Eurocopa, onde os italianos saíram ao ataque com mais frequência, a Azzurra fez em Bordeaux o que sabe de melhor historicamente: defender. Apoiado na base defensiva da Juventus (Barzagli, Bonucci, Chiellini e o goleiro Buffon), a equipe fechou os espaços e complicou a vida do bom ataque alemão.

Thomas Müller e companhia tiveram mais posse de bola na primeira etapa, mas não transformaram a superioridade em chances de gol. O goleiro Buffon pouco trabalhou no começo da partida. Ficou claro que o esquema montado pelo técnico Antonio Conte era de segurar o ímpeto alemão e jogar no erro do adversário, apostando em uma bola mortal do trio Giaccherini, Pellé e o brasileiro naturalizado italiano, Éder. Isso também não aconteceu. Sem muita emoção, o truncado jogo foi para o intervalo em 0 a 0.

A Alemanha voltou ligeiramente melhor no segundo tempo, e a pressão finalmente deu resultado aos 20 da etapa final. Jogada que começou em um chutão do goleiro Neuer e acabou com um chute preciso de Özil, do lado esquerdo, sem chances para Buffon. Mesmo após o gol, os alemães seguiam com a posse de bola e criavam mais chances de ampliar a vantagem. O arqueiro italiano fez um milagre na finalização do atacante Mario Gómez. Parecia uma vitória sem grandes emoções. Bem, parecia.

Isso até o experiente Boateng cometer um erro imperdoável. O ala italiano Florenzi cruzou na área, Chiellini desviou e a bola bateu na mão do zagueiro alemão, que, de forma inexplicável, subiu com os dois braços erguidos. Pênalidade máxima. Também defensor, Bonnuci cobrou seu primeiro pênalti pela Itália no tempo normal, colocou a bola no canto esquerdo de Neuer e empatou a partida em Bordeaux aos 32 do segundo tempo.

A Alemanha acusou o golpe, os italianos foram para cima e tiveram boas chances no final da segunda etapa para sair com a classificação. Mas nada de gol em solo francês. O duelo foi para a prorrogação, mas não teve muita emoção no tempo extra, já que nenhuma das equipes arriscava em demasia. A disputa de pênaltis era uma questão de tempo.

Gianluigi Buffon de um lado, Manuel Neuer do outro. O embate tinha tudo para ser épico. E foi. Zaza, Pellé e Bonucci desperdiçaram do lado italano, Özil e Müller, do lado alemão. O veterano Schweinsteiger teve a chance de dar um ponto final, mas chutou por cima da meta de Buffon. Nada de erro nas cobranças alternadas, foram seis acertos consecutivos. Isso até o lateral Darmian parar nas mãos de Neuer. Também lateral, o alemão Jonas Hector não desperdiçou, o chute passou embaixo de Buffon e entrou. Sofrida classificação Alemã na Euro 2016.

 

Gales faz a festa dos apostadores, Portugal avança nas penalidades

 

Em outro embate das quartas, realizado na última quinta-feira (30), em Lille, o País de Gales surpreendeu a todos. Na clássica escola inglesa dos cruzamentos, bateu a Bélgica por 3 a 1 e garantiu uma das vagas na semifinal da Euro 2016. A promissora geração belga terá que esperar mais um tempo para se provar. Quem apostou na vitória de Bale e companhia se deu muito bem, o maior odd pagou cinco para um.

Gales vai encarar Portugal na semifinal, que passou nos pênaltis pela Polônia na última sexta-feira (1), em Marseille. O polonês Lewandowski abriu o placar logo aos 2 minutos, o jovem português Renato Sanches empatou a partida no segundo tempo, a igualdade persistiu até  cobrança de penalidades. O goleiro português Rui Patrício defendeu o chute de Kuba, os portugueses venceram por 5 a 3. Festa portuguesa, com certeza, na França.

O duelo de tirar o fôlego entre os companheiros de Real Madrid Cristiano Ronaldo e Bale, digo, Portugal e País de Gales, acontece na próxima quarta-feira (6), às 16h, no Stade des Lumières, em Lyon. Alemanha e França fazem a outra semifinal do dia seguinte (7), também às 16h, no Velódrome, em Marseille. Ambos no horário de Brasília.

Veja mais notícias e probabilidades no site da ODDSSHARK.