Rússia tenta chegar ao mata-mata em Copas pela primeira vez desde o fim da União Soviética

Um dia, ou então, 24 horas para o início da Copa do Mundo de 2018. É tudo o que falta para nós ficarmos ligados no maior evento de futebol do planeta. Se Brasil, Alemanha, França, Espanha e Argentina carregam a pressão pelo favoritismo rumo ao título, uma outra seleção vive semelhante cobrança, mas por um motivo diferente. Estamos falando da anfitriã Rússia, que tentará pela primeira vez avançar para a fase de mata-mata da competição desde o fim da União Soviética. Se depender das apostas de futebol, os russos estarão sim nas oitavas, como apontam as cotações de R$ 1,36 segundo o site especializado OddsShark.com. Mas o país-sede será capaz de acabar com o trauma em Copas? Confira as curiosidades da Rússia e tudo sobre a estreia da seleção diante da Arábia Saudita!

História

A URSS teve um período vitorioso no esporte, ganhando duas medalhas olímpicas de ouro, em 1956 e em 1988, esta sobre a seleção brasileira liderada por Romário e Bebeto, foi campeã da Eurocopa, em 1960, e terminou entre as quatro melhores no Mundial de 1966, na Inglaterra.

Depois do fim do bloco soviético, a Rüssia se classificou para o Mundial de 1994, nos Estados Unidos. Apesar do faro de gol apurado de Oleg Salenko, balançando as redes em seis oportunidades e terminando a competição como artilheiro do torneio ao lado do búlgaro Hristo Stoichkov, a equipe não passou da primeira fase. O trauma se repetiria em 2002 e 2014. Já em 2006 e 2010, o país sequer se classificou para as competições na Alemanha e África do Sul. Como consolo, terminou em terceiro na Euro de 2008.

Por falar no país sul-africano, os Bafana Bafana são a única nação das 21 que sediaram o Mundial que não avançaram para o mata-mata – claro, desde que existe o formato de fase de grupos. Agora a pressão está toda com a trupe do comandada por Stanislav Cherchesov, que tem a cotação de R$ 3,00 para ampliar o vexame em Copas.

Drama, jejum…

Classificada automaticamente para a Copa do Mundo por ser o país-sede, a Rússia teve quatro anos de preparação à base de muitos amistosos. A seleção até teve a disputa da Eurocopa em 2016, mas a campanha vergonhosa no Grupo B, que contava com País de Gales, Inglaterra e Eslováquia; e a Copa das Confederações do ano passado, quando venceu apenas a Nova Zelândia, merecem ser esquecidas.

Diante disso, a equipe que contará com o brasileiro Mário Fernandes, aquele mesmo que há sete anos recusou uma convocação do então técnico do Brasil Mano Menezes para o Superclássico das Américas, é uma incógnita. Principalmente porque a seleção venceu apenas três partidas desde 2017 – contra Hungria, Nova Zelândia e Coreia do Sul. A equipe ainda acumulou sete derrotas e cinco empates, sendo que está sem vencer há oito meses.

Estreia

Diante de tudo isso, dá para imaginar como está a cabeça de cada um dos 23 jogadores que representarão os 142 milhões de russos logo mais? Esse peso pode ser parcialmente tirado das costas do artilheiro Fedor Smolov, que será referência de um ataque que perdeu em março Aleksandr Kokorin devido a ruptura dos ligamentos do joelho, se a seleção vencer a Arábia Saudita na estreia.

Com odds de R$ 1,44 segundo o site especializado OddsShark.com para iniciar a campanha com os três pontos, a Rússia é favoritaça na abertura do Mundial, que acontece em Moscou. Um triunfo pode ser um ótimo empurrão para enfrentar na rodada seguinte do Grupo A o Egito, do goleador Mohamed Salah, e posteriormente o principal candidato a liderança da chave, o Uruguai, da dupla matadora Edinson Cavani e Luis Suárez.

O adversário

A expectativa por uma vitória russa nesta quinta-feira é real por conta da atual situação do adversário. A Arábia Saudita vem de quatro anos bastante conturbados, trocando de técnico em quatro oportunidades. A missão de conduzir o país asiático agora é de Juan Antonio Pizzi, que até o ano passado comandou o Chile, sem sucesso, nas Eliminatórias Sul-Americanas.

Classificados para o torneio na segunda posição do Grupo 2 das Eliminatórias Asiáticas, os sauditas vêm de três derrotas consecutivas nos últimos meses, para Itália, Peru e Alemanha. Até por isso, a taxa para que a equipe saia zerada da competição é bastante atrativa, em R$ 2,75.

Mas isso certamente tentará ser revertido por Fahad al-Muwallad, estrela da seleção e um dos três atletas que atuam fora do país. Com o atacante, a Arábia Saudita é avaliada em R$ 10,00 para derrubar os anfitriões russos.

Confira os odds da 1ª rodada do Grupo A da Copa do Mundo:

14/06 – 12h00 – (R$ 1,44) Rússia x Arábia Saudita (R$ 10,00); empate (R$ 4,40)
15/06 – 09h00 – (R$ 7,00) Egito x Uruguai (R$ 1,61); empate (R$ 3,75)

Confira outros odds do futebol internacional na Trivela.