Vitória do Brasil sobre a Colômbia pode render 55% de lucro aos investidores

Depois da convincente vitória por 3 a 0 sobre o Equador, em Quito, a Seleção tenta encaixar nesta terça-feira (6) uma sequência de duas vitórias consecutivas pela primeira vez nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo da Rússia 2018. O Brasil recebe a Colômbia na Arena da Amazônia, às 21h45, em confronto válido pela oitava rodada do torneio e que tem dado o que falar nos últimos anos.

Os três embates recentes entre os países sul-americanos foram recheados de jogadas ríspidas e muitas discussões em campo. Tudo começou na última Copa, quando o colombiano Zúñiga tirou Neymar do torneio após entrada violenta nas costas do jogador canarinho. Em 2015, o craque brasileiro perdeu a compostura em duelo válido pela Copa América e foi expulso. Já neste ano, no caminho para o inédito ouro olímpico, a equipe brasileira sofreu com inúmeras faltas dos rivais. O foco, novamente, foi o jogador do Barcelona.

Com 12 pontos e a quinta colocação na tabela, o Brasil, do técnico Tite, necessita de uma vitória para alcançar o G-4, grupo dos quatro primeiros que dá vaga direta à próxima Copa. Caso conquiste os três pontos, a Seleção ultrapassará os adversários da noite na classificação geral. A Colômbia é atualmente a terceira colocada, com 13 pontos.

Para isso, o Brasil conta com um ataque jovem e rápido, que ganhou vida nos Jogos Olímpicos da Rio 2016 e parece ter atingido maturidade contra os equatorianos. Neymar, que voltou a mostrar regularidade e liderar a equipe, e Gabriel Jesus, autor de dois gols na última rodada, são as apostas do técnico Tite, que ainda tem Renato Augusto, Willian, Paulinho e Casemiro como responsáveis pela transição entre meio de campo e ataque.

Com a confiança de volta e o fato de jogar em casa, a Seleção Canarinho é ampla favorita contra os colombianos de acordo com as cotações do Oddsshark.com/br. Uma vitória do Brasil renderá lucro de 55%. A seleção está cotada em R$ 1,55 para cada real investido. Já uma vitória colombiana está avaliada em cinco vezes mais, a R$ 5,50. Um empate, que não deixa de ser um risco alto, paga R$ 4,20.

Sem Messi, Argentina viaja à Venezuela para manter a liderança

Depois de garantir a vitória anotando o gol albiceleste no clássico da rodada passada diante do Uruguai e garantir a liderança das Eliminatórias, Lionel Messi é o principal desfalque da Argentina para o duelo com a Venezuela. Com dores no púbis, o craque do Barcelona está fora da partida que será realizada na cidade venezuelana de Mérida.

Mesmo com a ausência do camisa 10 e a indefinição do técnico Edgardo Bauza sobre seu substituto – Erik Lamela e Nicolás Gaitán brigam pela vaga –, os argentinos são francos favoritos. Segundo o Oddsshark, os três pontos argentinos valem R$ 1,57, e o triunfo da Albiceleste significaria a manutenção da ponta da competição. Já a vitória da Venezuela, última colocada do torneio com apenas um ponto, paga R$ 5,75. Uma igualdade no placar é avaliada em R$ 4,00.

Maior azarão da rodada, Bolívia visita o Chile

Vencer o Peru na última quinta-feira fez muito bem à seleção boliviana, que chega bastante motivada para o duro confronto com o Chile, em Santiago. Com seis pontos e a oitava colocação na tabela, a Bolívia tenta surpreender os donos da casa, que vivem clima de instabilidade após a conquista de duas Copas América (2015 e 2016) e a saída do técnico Jorge Sampaoli. Cotados a R$ 15,00, a maior cotação da rodada, os bolivianos renderiam uma bolada aos investidores em caso de triunfo. Em uma aposta de R$ 100, por exemplo, o rendimento seria de R$ 1.500.

Já pelo lado chileno, que ocupa a sétima colocação, com 10 pontos, o técnico Antonio Pizzi tenta colocar panos quentes numa possível crise. A “Roja” venceu apenas uma das últimas cinco partidas na competição. Se não bastasse isso, Medel, expulso contra o Paraguai nos minutos finais, e o capitão Claudio Bravo, com problemas particulares, são desfalques certos.

Mesmo com desconfiança por parte da torcida, vitória do Chile é aposta quase certa entre os investidores. Por isso, eles possuem a cotação mais baixa entre os mandantes da oitava rodada, em R$ 1,17, o que geraria lucro de apenas 17%. Já um empate paga R$ 7,00.

Confira os jogos, horários e as cotações das Eliminatórias da América do Sul:

Terça-feira (06/09):
20h – Venezuela (R$ 5,75) x Argentina (R$ 1,57); empate (R$ 4,00)
20h – Uruguai (R$ 1,50) x Paraguai (R$ 7,00); empate (R$ 4,00)
20h30 – Chile (R$ 1,17) x Bolívia (R$ 15,00); empate (R$ 7,00)
21h45 – Brasil (R$ 1,55) x Colômbia (R$ 5,50); empate (R$ 4,20)
23h15 – Peru (R$ 2,25) x Equador (R$ 3,40); empate (R$ 3,10)