Que Jürgen Klopp é um técnico que foge dos padrões, ele já deixou isso bem claro faz um tempo. Inclusive dos padrões de sanidade. Afinal, não é sempre que você nota um personagem dentro do futebol com as excentricidades do alemão. Esse traço, somado às sempre boas declarações, tornam as coletivas de imprensa do treinador imperdíveis. E nesta semana, às vésperas do jogo decisivo com o Real Madrid, Klopp resolveu tornar seu bate-papo com a imprensa ainda mais aconchegante.

Os técnicos costumam beber água nas entrevistas, ponto. Não uma xícara de café, como Klopp fez no Signal Iduna Park. Enquanto conversava sobre a preparação do Borussia Dortmund, degustava um bom cafezinho. E, logicamente, com a língua quente, seguiu com suas afirmações lúcidas, que fogem do comum no futebol.

“Eu não acho que é difícil encontrar uma maneira de jogar. Tivemos um resultado em Madri que não nos deixa muita opção. Só não entendo as pessoas dizem que, para nos classificar, temos que marcar o primeiro gol em cinco minutos. Eu não sei quantos milagres foram proclamados antes de serem realizados. Não temos nenhum direito de falar sobre isso, mas temos de dar tudo no campo e jogar com força. Se conseguirmos um bom resultado que nos classifique, será grandioso; se não, queremos dar adeus para a Liga dos Campeões com uma grande atuação”, disse Klopp. “Como sempre, daremos tudo para vencer, porque devemos isso aos nossos torcedores. Colocaremos toda a paixão do mundo”.

Com ou sem café, o técnico não precisa de muito para ter essa paixão correspondida em Dortmund.