Ver a estreia da seleção sem poder beber nos tradicionais pubs parecia mesmo uma afronta às tradições inglesas. O primeiro ministro David Cameron parece ter ouvido o nosso pedido para intervir e autorizar que os pubs funcionem e vendam cerveja normalmente além do horário limite estabelecido, 23h. O pedido da Associação Britânica de Cerveja e Pubs (British Beer and Pubs Organization, BBPA) foi inicialmente negado pelo Home Office, ministério do governo britânico responsável por essa questão, por não considerar a Copa “uma questão de importância nacional”. Já o jubileu da coroa britânica ou o casamento do príncipe sim, são motivos para liberar a cerveja até mais tarde. Ainda bem que David Cameron parece entender melhor que futebol não são só 22 caras correndo atrás da bola em um jogo.

A estreia da Inglaterra será às 23h no horário de Londres, contra a Itália, em Manaus. Por isso, seria necessária essa autorização especial para que os pubs funcionem normalmente. A questão foi imediatamente negada, mas o pedido do primeiro ministro para que o ministério reconsidere a questão deve fazer a autorização acontecer.

Segundo um porta-voz do escritório do primeiro ministro, David Cameron interveio porque a Copa do Mundo é “um grande evento esportivo” no qual há “interesse nacional significativo”. Como é óbvio, aliás. Como uma pessoa no Reino Unido e, especificamente, na Inglaterra, um país tão visceralmente ligado ao futebol, pode não entender isso? David Cameron é político, e entende. O porta-voz ressaltou que a opinião deles é que deveria ser vendida bebida alcoólica em horário especial.

“É certo que nós consultemos”, disse ainda o porta-voz. “Nós submetemos nossa opinião que os pubs devem abrir em jogos relevantes”, completou. Atualmente, os pubs fecham às 23h. A permissão especial faria com que os pubs pudessem funcionar normalmente das 23h à 1h da manhã no primeiro fim de semana da Copa, horário do jogo de estreia da Inglaterra no dia 14. O pedido é que o último fim de semana da Copa também tenha essa autorização especial, nos dias 11 e 12 de julho. Segundo a BBPA, essa autorização poderia movimentar £ 20 milhões na economia (€ 24 milhões, ou R$ 78 milhões).

A mudança de postura do governo alegrou, claro, a BBPA. Não poderia ser diferente. “Isso seria a notícia mais fantástica para mulheres de donos de pubs e torcedores de futebol”, disse o executivo chefe da associação, Brigid Simmonds. “Essa decisão de bom senso removeria uma grande quantidade de burocracia para pubs e conselhos locais”, completou.

Se alguém ainda tem dúvida sobre a força dos pubs e o quanto isso representa da culturua do país, eis mais um dado. Segundo a BBC, mais de quatro milhões de pessoas assistiram ao jogo de estreia da Inglaterra na Copa do Mundo de 2010 em um pub. É um evento altamente lucrativo e que faz parte da tradição britânica. A BBPA ajudou a preparar um plano para lidar com essa questão de pessoas bebendo até mais tarde e na rua junto às autoridades para que não haja qualquer problema.

Cameron, já que você leu a Trivela sobre essa questão, que tal tirar as tropas do Afeganistão também? Fica a sugestão. Cheers, mate!