Não são só os clubes brasileiros que vivem uma situação financeira catastrófica. A falta de dinheiro atinge também times do Velho Continente, como, por exemplo, o Cheltenham, da Inglaterra. O clube foi fundado em 1892 e atualmente disputa a quarta divisão inglesa.

Os Robins, como é chamado o clube, disputou no começo do século XX campeonatos locais sem grande destaque. Seu primeiro feito digno de nota aconteceu em 1930, quando chegou à terceira fase da Copa da Inglaterra, sendo derrotado pelo Blackpool, que disputava a primeira divisão. Mesmo com o revés, os torcedores ficaram muito satisfeitos com a campanha, afinal não é comum um clube que só jogava campeonatos regionais chegar à terceira fase do torneio.

Principais jogadores da história

Alguns jogadores ganharam notabilidade jogando pelo Cheltenham. Um exemplo é o prata da casa Joe Hyde, que atuou em 450 jogos na década de 1950 pelo time. Outro é Peter Goring, que após a Segunda Guerra Mundial chegou a atuar pelo Arsenal, na primeira divisão.

Mais recentemente, ganharam o carinho da torcida nomes como Steve Brooks, que chegou ao Cheltenham em 1985 e foi considerado durante sete temporadas o ‘motorzinho da equipe’, pois criava ótimas jogadas e também marcava muitos gols. Porém, uma séria contusão no joelho abreviou sua carreira em meados de 1992.

Atualidade sombria e futuro incerto

O Cheltenham nunca foi um time de grande tradição e nome na Inglaterra, e não parece que o será num futuro próximo. Os Robins estão com sérias dificuldades financeiras, quase falidos.

Nos últimos anos, vários clubes ingleses estiveram em situação financeira delicada, mas a do Cheltenham é pior. O clube já vendeu seu estádio, praticamente não tem patrimônio e tem prejuízo todo mês. Para completar, não há na região nenhum milionário que se mostre disposto a salvar o time. Com tudo isso, não será surpresa se no final da temporada o clube fechar as portas.