A estreia na Copa do Mundo é sempre um momento de tensão, ainda mais quando você é chamado às pressas do banco de reservas para entrar em campo. Denis Cheryshev foi chamado pelo técnico Stanislav Cherchesov quando o meia Alan Dzagoev se machucou. Poucos podiam imaginar o papel estelar que ele teria na partida. Quando ele entrou, o jogo estava 1 a 0 para a Rússia. Ele foi responsável por dois golaços e acabou eleito o melhor jogador em campo. Algo impressionante em uma partida incrível da Rússia. Uma estreia dos sonhos. O ponta Cheryshev já foi uma das grandes promessas do futebol russo, mas demorou a engrenar, não vingou no Real Madrid e nem no Valencia, e se encontrou apenas no Villarreal. Na seleção russa, não conseguiu mostrar o potencial que demonstrava no seu início de carreira, em 2011. Agora, aos 27 anos, escreve um capítulo marcante da história das Copas e da seleção russa.

LEIA MAIS:
– Rússia aproveitou fragilidade da Arábia Saudita e fez estreia dos sonhos na Copa
– Golovin saiu do futsal siberiano para encher de categoria a abertura da Copa do Mundo

Nascido em Nizhniy Novgorod, Cheryshev tem a sua formação futebolística muito ligada à Espanha, como contamos no Guia Trivela da Copa. Formou-se como jogador pelo Real Madrid, mas atualmente defende o Villarreal e é um jogador que já ganhou muito destaque. No time da Rússia, não tinha nem perspectiva de ser titular, mas costuma ser um reserva bastante utilizado. Com o cartão de visitas do jogo contra a Arábia Saudita, certamente ele ganhou muitos pontos com todo mundo.

Aos 27 anos, Cheryshev ainda teve uma trajetória irregular na carreira e ainda nem tinha marcado um gol pela seleção russa. Foi apenas o seu 12º jogo pela Rússia. O ponta foi quem mais chutou a gol na partida, com quatro tentativas – e dois gols. Nenhum outro jogador chutou mais que duas vezes. A Rússia fez 14 chutes a gol, sendo sete no alvo. A Arábia Saudita não chutou uma vez sequer. Nem em sonho ele poderia sonhar em uma estreia na Copa como essa. E são palavras do próprio Cherishev.

“Eu não poderia ter sonhado com nada assim. Eu já me senti feliz apenas por estar no elenco. Meu segundo gol, nós passamos algum tempo trabalhando nisso nos treinos. Eu estava tentando estar lá com Dzyuba, ele ganhou de cabeça e eu apenas chutei a bola. Eu nem tive tempo de pensar”, disse Cheryshev.

O bom desempenho na estreia permite que a Rússia sonhe em ir além, chegar ao mata-mata e quem sabe ir passando de fase. E ele sonha em jogar a Copa na sua cidade, Nizhny Novgorod. “Eu espero apenas que a seleção russa jogue aqui, para mim e para o meu pai é uma honra para os embaixadores da nossa cidade natal. Eu tenho certeza que os torcedores estrangeiros irão gostar de Nizhny Novgorod, porque a Rússia sempre foi famosa pela nossa hospitalidade”, declarou ao Walcome2018, site de turismo sobre a Copa.

Para a Rússia jogar em Nizhny Novgorod, a Rússia teria que ficar em primeiro lugar no seu grupo e vencer o segundo colocado do Grupo B (que tem Portugal, Espanha, Marrocos e Irã) entre os favoritos. O jogo das quartas de final, nesse caso, seria no dia 6 de julho, em Nizhny Novgorod, contra o vencedor do primeiro lugar do Grupo C (da França, Austrália, Peru e Dinamarca) e segundo do Grupo D (que tem Argentina, Islândia, Croácia e Nigéria). Parece um sonho. Mas depois de uma estreia com 5 a 0 e golaços como esse, por que Cherishev não poderia sonhar com isso também?