O terremoto ocorrido na última terça-feira provocou uma onda de destruição no México. Até o momento, foram contabilizadas 286 vítimas fatais, além de mais de dois mil feridos e outros milhares de desabrigados. No entanto, se a tragédia deixou os mexicanos de luto, as ondas de solidariedade vêm de diversos cantos do mundo. Vários são os movimentos de apoio aos afetados pelo desastre natural. E alguns dos principais jogadores de futebol do país se engajaram para, ao menos de alguma forma, levar alento aos que sofrem as consequências.

A imagem mais emblemática é a do goleiro José de Jesús Corona. O veterano da seleção mexicana e do Cruz Azul se incorporou às equipes de resgate nos últimos dias. Segundo os relatos, o arqueiro chegou sem qualquer alarde antes de se empenhar no trabalho de remoção dos escombros. A partir de então, diversas fotos passaram a circular nas redes sociais. Técnico dos Cementeros, o espanhol Paco Jémez também colocou a mão na massa, ao ajudar a transportar e distribuir alimentos na Cidade do México.

“Primeiro temos que resgatar as pessoas, tirar os escombros de tudo o que foi destruído. Mas depois também outra parte complicada, que é a reconstrução. Além do governo, a sociedade também precisa se envolver, isso vai ser muito importante. Nós, como figuras públicas, temos que dar o exemplo. Não devemos nos esquecer de toda essa gente que perdeu seus bens ou pessoas queridas, devemos ajudar para que se levantem. Vai ser importante o trabalho que poderemos fazer como futebolistas”, declarou Corona, ao jornal Récord.

Principal nome da seleção mexicana, Chicharito Hernández aproveita a sua projeção para arrecadar fundos. Junto com o companheiro Miguel Layún, o atacante criou uma campanha de doações chamada “Yo X Mexico”, que até o momento já recebeu mais de US$ 200 mil em contribuições. “Sabemos que muitos nos veem como fonte de inspiração, mas, neste caso, o que nos têm inspirado é ver milhões de mexicanos saírem às ruas e estenderem a mão sem pedir nada em troca. Esperamos, com esta iniciativa, oferecer ajuda a quem necessita e motivar mais gente a fazer isso conosco”, escreveram, na página oficial do crowdfunding. Atual clube de Chicharito, o West Ham vai leiloar as camisas usadas na rodada deste final de semana, contra o Tottenham, em prol dos afetados.

Outra estrela internacional de El Tri, Andrés Guardado gravou um vídeo para a Unicef, pedindo doações às crianças atingidas pelas consequências do terremoto. Atualmente no Betis, o meio-campista aparece na gravação ao lado do veterano Joaquín. Durante a última quarta, o verdiblanco estava visivelmente emocionado quando foi respeitado um minuto de silêncio às vítimas, no Estádio Santiago Bernabéu, antes da vitória por 1 a 0 sobre o Real Madrid.

Além disso, há também iniciativas em conjunto dos próprios clubes. Um bom exemplo vem de Guadalajara, onde os jogadores de Chivas e Atlas deixaram qualquer rivalidade de lado para juntar alimentos e artigos de primeira necessidade. Os atletas ajudaram não apenas a organizar a distribuição, como também carregaram caixas aos caminhões que levam os produtos aos centros de apoio. Em suas redes sociais, o Chivas ainda divulgou uma mensagem com um representante de cada clube convocando mais voluntários. O América também enviou seus membros a centros de apoio, incluindo o técnico Miguel Herrera.

A partir de doações feitas junto à sua torcida, o León arrecadou 150 toneladas de alimentos no Nou Camp e enviou às zonas afetadas. Da mesma forma, a maioria absoluta dos estádios da primeira divisão se transformaram em pontos para a doação de alimentos, água, roupas, ferramentas e outros artigos de necessidade básica – como as arenas de Toluca, Pachuca, Tijuana, Morelia, Pumas, Santos Laguna, Querétaro, entre outros. Monterrey e Tigres planejam um clássico beneficente para levantar fundos, enquanto o Villarreal também ofereceu um amistoso aos felinos no mesmo intuito. E, assim, o futebol retribui aos torcedores em um momento de tamanha dificuldade.