O Torneo Clausura do Campeonato Chileno começou na última sexta. A competição foi mais falada pelo fato de o Palestino ter feito um protesto contra Israel e usado o mapa do país no lugar do “1” nas camisas (entenda a polêmica no Impedimento). Mas há outro fator interessante que passa despercebido: é o primeiro campeonato nacional da América do Sul que adota verdadeiramente o calendário europeu.

Isso mesmo, você não leu errado. E não ficamos malucos aqui. Argentina, Bolívia, Uruguai e Venezuela iniciam suas temporadas em julho/agosto e as encerram em maio/junho, como na Europa. Mas, no fundo, eles não adotam uma temporada europeia.

Na América do Sul, a maioria dos países adota temporadas semestrais. Isso não se deve apenas pela divisão em Apertura e Clausura, com dois títulos concedidos a cada ano, mas também pelo modo como ocupam o calendário. Não há futebol contínuo de agosto a maio, formando uma única temporada estilo europeu. Há uma enorme parada na virada do ano, muito maior do que os 10 dias que seriam necessários para permitir aos jogadores comerem a ceia de Natal com a família e comemorarem o Ano Novo em alguma praia.

É perfeitamente possível dizer que, em cada um desses países, a temporada começa em agosto e termina em dezembro. Depois, começa outra em janeiro e termina em maio. As únicas coisas que configuram o final da temporada no meio do ano é a definição de rebaixados e, no caso de Uruguai e Venezuela, a realização de um confronto entre os campeões de Apertura e Clausura para apontar o campeão do ano. De resto, o momento do início e o do fim é arbitrário, e não faria grande diferença modificá-lo.

Veja como serão as paradas de virada de ano nos países da Conmebol que adotam a temporada europeia:

ARGENTINA

Última rodada do Inicial: 15 de dezembro
Primeira rodada do Final: 9 de fevereiro

BOLÍVIA

Última rodada do Apertura: 22 de dezembro
Primeira rodada do Clausura: 18 de janeiro

URUGUAI

Última rodada do Apertura: 15 de dezembro
Primeira rodada do Clausura: 1º de fevereiro

VENEZUELA

Última rodada do Apertura: 15 de dezembro
Primeira rodada do Clausura: 12 de janeiro

Vejam que na Bolívia e na Venezuela a parada é de quatro semanas, praticamente um mês. Em Argentina e Uruguai é de um mês e meio, com férias e realização de torneios de pré-temporada no meio.

Com essa estrutura semestral, não faz tanta diferença se a temporada começa em janeiro ou julho. “Ah, mas os jogadores não saem em massa no meio do campeonato, como aqui.” Não saem, mas não sairiam do mesmo jeito. No Paraguai e na Colômbia, o Apertura é no primeiro semestre e o Clausura/Finalización é no segundo. Os jogadores deixam o país em maior quantidade no meio do ano, mas são dois campeonatos diferentes do mesmo jeito, como seria na Argentina. “Prejuízo a um campeonato em andamento” só é uma realidade em Equador e Peru (e no Brasil, claro).

O atual Campeonato Chileno não aplica essa lógica. É realmente uma temporada contínua à europeia. O final do Apertura foi em 22 de dezembro e o início do Clausura ocorreu em 3 de janeiro. Claro que uma pausa de fim de ano tão curta tem relação direta com a Copa do Mundo, pois a temporada tem fim previsto para 27 de abril e dará tempo de sobra para Jorge Sampaoli trabalhar os jogadores da seleção que atuam no futebol local (são poucos, diga-se).