europaleague

Cinco duelos que valem ser acompanhados nos mata-matas da Liga Europa

A Liga Europa começa a esquentar agora. Depois da arrastada fase de grupos, na qual muitos times das grandes ligas não dão muita bola para a competição, os mata-matas deixam claro que qualquer derrota daqui para frente pode ser fatal. Mais do que isso, também entram na disputa os repescados da Liga dos Campeões, que costumam chegar já como favoritos – não à toa, seis dos últimos 14 campeões foram remanejados da Champions, incluindo o atual dono da coroa, o Chelsea.

Por enquanto, várias equipes de qualidade questionável ainda continuam na disputa. De qualquer forma, em 16 confrontos, não seria possível que nenhum deles prestasse. Há claro, bons jogos. E também algumas batalhas interessantes por suas peculiaridades, que valem ser acompanhadas. Ainda falta muito na caminhada até a decisão, em Turim. Mas já dá para dizer que a Liga Europa começa de verdade a partir desta quinta. Confira os jogos para ficar de olho:

Napoli x Swansea

Higuaín foi o destaque na vitória dos napolitanos (AP Photo/Salvatore Laporta)

O único duelo entre dois clubes das grandes ligas nestes 16-avos de final. O Napoli cai de paraquedas na Liga Europa com rótulo de favorito, especialmente pela fórmula como rivalizou com Arsenal e Dortmund no ‘grupo da morte’ da Champions. Conquistar a competição, aliás, significa reviver o único titulo europeu de Maradona no clube, a Copa da Uefa de 1988/89. E, em uma zona morta na Serie A, longe da liderança e também tranquilos quanto a vaga na LC, os napolitanos podem levar força máxima para a LE, com Higuaín e Hamsik na liderança. Já o Swansea vive situação delicada. Após flertar com o rebaixamento na Premier League, os galeses se estabilizaram no meio da tabela, mas voltaram à crise com a demissão de Michael Laudrup. Wilfried Bony é o cara, enquanto Michu, voltando de lesão, está em dívida nesta temporada.

Valencia x Dynamo Kiev

Há uma década, seria um grande jogo de Liga dos Campeões. Os gigantes fazem o confronto de camisas mais pesadas desta rodada porque, afinal, possuem o título da Liga Europa ao menos de forma indireta. O Valencia faturou a Copa da Uefa em 2004, enquanto o Dynamo é bicampeão da Recopa, incorporada posteriormente ao torneio. A fase atual, entretanto, não é das melhores. Os Ches seguem seu calvário econômico e estão apenas em oitavo no Campeonato Espanhol, mas subiram de produção nas últimas semanas. E o elenco conta com novidades, trazidas na janela de inverno, como Eduardo Vargas e Seydou Keita. Já o Dynamo, que prometeu rivalizar com o Shakhtar neste ano, segue em segundo na Ucrânia, mas possui jogadores com rodagem internacional que podem ajudar, em especial Yarmolenko e Mbokani.

Red Bull Salzburg x Ajax

Siem de Jong é o capitão do Ajax e, sem Erikssen, o seu principal jogador

Um duelo dos novos ricos contra a velha tradição de quem é tetracampeão continental. O Red Bull Salzburg costuma decepcionar bastante nas competições europeias, mas desta vez sobrou na fase de grupos. Os austríacos mantiveram 100% de aproveitamento e, lideres com muita folga na Bundesliga (são 17 pontos de vantagem em 23 rodadas), podem se concentrar na LE. A dupla formada por Alan e Jonathan Soriano está entre as mais prolíficas da Europa e Sadio Mané merece atenção. Do outro lado, todavia, há toda a pompa do Ajax. Os holandeses fizeram um papel digno na Champions, mas acabaram superados por Barcelona e Milan. Líder na Eredivisie, o time de Frank de Boer pode se agarrar à oportunidade para voltar a sonhar com o topo da Europa – nem que seja da Liga Europa. O futebol ofensivo é um atrativo a mais.

PAOK x Benfica

O Benfica fez um papelão na Liga dos Campeões, justo no ano em que o Estádio da Luz recebe a final. Tinha totais condições de classificação, mas acabou superado pelo Olympiacos. E os gregos voltam a ser a pedra no sapato dos encarnados. O PAOK não tem a hegemonia dos compatriotas, mas possuem uma equipe bastante interessante: Salpingidis, Katsouranis, Stoch, Martens e Maduro estão entre os nomes tarimbados do time de Huub Stevens. E, longe da ponta na Super League, se agarrarão a Liga Europa. O Benfica ainda tem muito interesse no Portuguesão, do qual é líder, mas tem elenco para conciliar as duas frentes. Aliás, os encarnados já mostraram o valor que dão à LE na última temporada, batidos pelo Chelsea na final. Mesmo sem Matic, a equipe segue muito boa, destacada por Garay, Gaitán e Cardozo.

Tottenham x Dnipro

Britain Soccer Premier League

Já são três temporadas consecutivas na Liga Europa, que tornam o Tottenham um participante habitual. Assim como na temporada passada, os Spurs parecem se interessar pelo título que conquistaram duas vezes – ainda que o quarto lugar na Premier League, a três pontos de distância, seja mais vantajoso. Em um grupo fraco, os londrinos conquistaram 18 pontos. E, por mais que nem todos tenham rendido o esperado, o elenco é o mais vasto para lidar com a maratona final, especialmente no ataque – bons reservas como Lamela e Chadli podem ganhar espaço. O Dnipro, entretanto, é um desafio ingrato. Sem chances na Ucrânia, o clube procura seu lugar ao sol na LE há algum tempo. E o time tem seus valores para chegar longe na competição, especialmente no setor ofensivo, com Giuliano, Konoplyanka e Seleznev.

E os favoritos para acompanhar

Quatro clubes não farão exatamente bons jogos nesta fase da Liga Europa, mas têm pinta de favoritos. O principal deles é a Juventus. A Vecchia Signora caiu de maneira patética na Champions e não deu muita bola para as últimas edições da LE em que participou. Desta vez, no entanto, é diferente. O time de Antonio Conte nada de braçada na Serie A e terá a chance de disputar a final em casa, em Turim. A caminhada rumo ao tetracampeonato do torneio (que tornaria a Juve a maior vencedora) começa contra o Trabzonspor, apenas o nono no Turcão.

Vidal salvou a Juventus contra o Kobenhavn (Foto: AP)

A Fiorentina é outro italiano que merece atenção. Fez boa fase de grupos, embora sua prioridade seja voltar à Champions na Serie A. Nesta quinta recebem o Esbjerg, na zona de rebaixamento do Dinamarquesão e que só se classificou por osmose aos 16-avos. O Porto não vem bem na temporada, após perder jogadores importantes. Ainda assim, não se descarta um clube que foi bicampeão do certame nos últimos 10 anos, iniciando a jornada contra o Eintracht Frankfurt, na parte inferior da tabela na Bundesliga. E o Shakhtar Donetsk, que também possui um título recente, deve concentrar suas forças na Liga Europa – e tem boas chances de ser campeão. Seu primeiro adversário é o indigesto Viktoria Plzen, que também veio da Champions ao ficar em terceiro na chave de Bayern de Munique e Manchester City.