Kenny Dalglish foi convocado para uma reunião com o dono e o presidente do Liverpool. Pensou: “Jesus, o que eu fiz agora?”. A última vez que isso havia acontecido, em maio de 2012, os dirigentes do clube comunicaram que ele estava demitido do cargo de técnico da equipe. Atualmente diretor não-executivo, achou que pudesse estar sendo dispensado novamente. Mas, desta vez, o recado foi muito mais positivo: uma das arquibancadas de Anfield seria batizada em homenagem a ele.

LEIA MAIS: Quando o rei chegou: há 40 anos, Kenny Dalglish assinou contrato com o Liverpool

Nada mais justo quando estamos falando de um rei. Como técnico e jogador, Dalglish conquistou 19 títulos para o Liverpool, jogou 515 partidas e marcou 172 gols. A Kenny Dalglish Stand, antiga Centenary Stand, com capacidade para 12 mil pessoas, será a primeira do estádio a receber o nome de um indivíduo específico. Junta-se a Bill Shankly e Bob Paisley, os dois principais treinadores da história do clube, que dão nome a portões de Anfield.

A cerimônia oficial de inauguração foi realizada nesta sexta-feira, com convidados de honra da estirpe de Alex Ferguson e Bobby Charlton e uma legião de ídolos do Liverpool: Steven Gerrard, Jamie Carragher, Gerard Houllier, Alan Kennedy, Ronnie Whelan, Ian Callaghan, Ian St. John, Alan Hansen, Roy Evans, Robbie Fowler, Michael Owen, Phil Neal, Chris Lawer e basicamente qualquer um que estivesse vivo e pudesse entrar em um avião ou trem.

Dalglish com Ferguson na inauguração da sua arquibancada (Foto: Divulgação/Liverpool)

O primeiro jogo com a arquibancada renomeada será neste sábado, e o adversário não poderia ser outro senão o grande rival nacional, o Manchester United, em uma partida importante para os comandados de Jürgen Klopp recuperarem a confiança e o caminho das vitórias. Em homenagem a Dalglish, reunimos algumas glórias e decepções de King Kenny contra os Red Devils.

Não são muitas. Dalglish marcou apenas quatro vezes contra o United. Na época em que o escocês brilhou com a camisa do Liverpool, o adversário ainda tentava se reerguer e dava os primeiros passos com Alex Ferguson, embora tenha vencido a maioria dos confrontos diretos pela liga inglesa – perdeu apenas três vezes em 21 jogos na década de oitenta. E na época em que Ferguson estabeleceu o United como uma grande potência nacional, Dalglish já havia ido embora – mas duelou com ele como técnico do Blackburn.

1983 – Liverpool 2 x 1 Manchester United

Era a última temporada de Bob Paisley como técnico do Liverpool. Kenny Dalglish fez dupla de ataque com Ian Rush na decisão da Copa da Liga Inglesa, em Wembley. Os Reds levantaram o troféu com dois golaços, de Alan Kennedy Ronnie Whelan, na última decisão do time com Paisley no banco de reservas.

1985 – Manchester United 2 x 1 Liverpool

O Liverpool buscava seu quarto título nacional seguido, em 1985, mas uma derrota para o Manchester United, em casa, por 1 a 0, deixou o Everton bem encaminhado. Duas semanas depois, no meio de abril, os rivais duelaram pelas semifinais da Copa da Inglaterra, que os Reds não venciam há 11 anos.

No primeiro jogo, em Goodison Park, o Liverpool conseguiu o empate nos minutos finais da prorrogação, um resultado que o próprio técnico do time, Joe Fagan, classificou como “sorte”. O replay foi disputado no Maine Road, de Manchester, os Reds saíram na frente, mas Bryan Robson empatou com um golaço, e Mark Hughes decretou a vitória do Manchester United, que impediria a dobradinha do Everton na decisão de Wembley.

1988 – Liverpool 3 x 3 Manchester United

O Liverpool teve muitos times brilhantes entre a década de sessenta e de oitenta, mas muitos consideram o da temporada 1987/88 como um dos melhores – ou até mesmo o melhor. Kenny Dalglish já era o técnico e vendeu Ian Rush para a Juventus, depois de conquistar a primeira dobradinha da história do clube (liga e copa) na temporada anterior. O dinheiro foi reinvestido em Peter Beardsley e John Barnes, que se juntaram a John Aldrige, que havia chegado em janeiro.

O resultado foi arrasador: o Liverpool chegou ao final de março invicto, após 29 rodadas, e sofreu a primeira derrota para o Everton, em Goodison Park. Conquistou a liga com 90 pontos, marcando 87 gols. Por isso, a expectativa era alta, no começo de abril, quando o United visitou Anfield. Como já dissemos, apesar do domínio dos Reds naquela década, o rival de Manchester era uma pedra no sapato, poucas vezes derrotada.

Naquela tarde, o Manchester United mostrou os motivos. Robson abriu o placar, aos 3 minutos, antes de o Liverpool passar o trator no adversário. Beardsley empatou, Gary Gillespie virou e Steve McMahon ampliou, com um golaço de fora da área. Collin Gibson foi expulso, e a vitória dos donos da casa parecia certa. Robson, porém, tinha outros planos. Deu sorte em um chute de fora da área, que desviou e enganou Grobbelaar.

Em uma desatenção terrível da defesa, Gordon Strachan, esse mesmo que foi demitido da seleção escocesa esta semana, saiu cara a cara com o goleiro e marcou o gol de empate.

1994 – Blackburn 2 x 0 Manchester United

Kenny Dalglish travou dois duelos eletrizantes contra o Manchester United de Alex Ferguson como treinador do Blackburn. Foi vice-campeão, em 1993/94, e superou os Red Devils por um ponto na temporada seguinte, para conquistar um histórico título inglês para os Rovers. Nesse período, foram quatro partidas pela Premier League. E Dalglish ganhou apenas uma.

Curiosamente, não foi durante a campanha do título – nesta, o Blackburn perdeu as duas para o United. Em abril de 1994, o time treinado por Dalglish ainda acreditava no título. Estava a apenas seis pontos de distância dos Red Devils e tinha o confronto direto em casa. Alan Shearer marcou duas vezes na vitória por 2 a 0.

Na sequência, o Blackburn chegou a empatar em pontos com o Manchester United, a cinco rodadas do final, mas ganhou apenas mais uma partida até o fim da liga – contra o West Ham – e acabou ficando em segundo lugar, a oito pontos do título que só viria no ano seguinte.

2011 – Liverpool 3 x 1 Manchester United

Quando Roy Hodgson foi demitido, em janeiro de 2011, o Liverpool colocou Dalglish como técnico interino. A lenda acabou ficando por um ano e meio no clube e, bem ou mal, foi o último treinador campeão pelos Reds – a Copa da Liga Inglesa de 2012. O começo da sua segunda passagem foi boa e culminou em uma vitória categórica sobre o Manchester United, campeão daquela temporada, por 3 a 1. Kuyt marcou três vezes.