Ao entrar em campo para finalizar a 15ª rodada do Campeonato Inglês, o Manchester City não esperava grandes dificuldades para buscar a vitória. Afinal, pegaria o West Ham, penúltimo colocado da Premier League. Só que os Hammers deram o que fazer ao líder do campeonato. Chegaram até a fazer 1 a 0, fora de casa. Porém, o City se valeu do que melhor sabe fazer: tocar a bola, com paciência, e prensar o adversário na defesa. Os gols demoraram, por causa de ótima atuação do goleiro Adrián. Mas por fim vieram, rendendo o 2 a 1 que deu o recorde de vitórias consecutivas numa mesma temporada ao clube – 13.

E nem demorou tanto para que os visitantes de Stratford mostrassem que não haviam ido a Manchester apenas para se defender. Já aos 17 minutos, o goleiro Ederson precisou trabalhar, ao defender complemento de Arthur Masuaku para cruzamento de Michail Antonio. O time anfitrião só deu sinal de vida aos 25 minutos.- David Silva arriscou de fora da área, forçando Adrián (substituto de Joe Hart) a fazer boa defesa, espalmando por cima da meta.

Porém, o mesmo Silva abriria caminho para o West Ham, aos 35 minutos: o espanhol errou na saída de bola, e esta ficou com Manuel Lanzini, que entrou na área pela direita e chutou forte. Atento, Ederson espalmou pela lateral. Até que a ousadia dos Hammers teve seu prêmio, aos 45 minutos. Após cruzamento de Aaron Cresswell para a área, Angelo Ogbonna subiu sozinho para cabecear no canto direito de Ederson – que ainda tentou espalmar, mas viu a bola entrar para o 1 a 0.

No segundo tempo, o West Ham ainda ousou aos cinco minutos, quando Masuaku chutou para Ederson defender. Só que o ritmo foi o esperado, dali por diante: o Manchester City esperando, avançando, criando chances. Aos 11 minutos, após falta sobre Fabian Delph na entrada da área, Kevin de Bruyne cobrou falta, e Adrián espalmou. Na sequência, o gol de empate. Gabriel Jesus tabelou com Raheem Sterling na direita, retomou a bola e cruzou. Nicolás Otamendi completou na primeira trave, e com ajuda de um desvio, conseguiu o 1 a 1.

Claro, os mandantes buscariam a vitória. Aí começou a aparecer Adrián. Aos 22 minutos, em jogada individual, Leroy Sané driblou e chutou forte e cruzado para o goleiro rebater. Aos 25, foi a vez de De Bruyne arriscar de fora da área, após passe de Sané. Mas o arqueiro da camisa 13 defendeu. Segundos depois, Gabriel Jesus mandou chute colocado, e o guarda-metas espanhol do West Ham fez outra elogiável intervenção, espalmando – no rebote, Sterling ficou sem domínio.

Enfim, de tanto tentar, o Manchester City conseguiu o gol do 2 a 1, aos 38 minutos. Como sói acontecer, com a inteligência de Kevin de Bruyne. De fora da área, o camisa 17 dos Citizens lançou com precisão para a área. Coube a David Silva se esticar, chegando à pequena área, para completar com um carrinho, no contrapé de Adrián, aliviando a torcida e garantindo uma vitória mais árdua do que se esperava. Pelo menos, preparou bem a equipe para o clássico contra o Manchester United, na próxima rodada.