Na próxima quinta-feira, será lançado no Rio de Janeiro o livro “Clientes versus Rebeldes – Novas culturas torcedoras nas arenas do futebol moderno”, de Irlan Simões. A publicação debate a transformação da cultura de arquibancada no Brasil, a partir da realização da Copa do Mundo de 2014. O megaevento formatou conceitos, atendendo interesses que não necessariamente eram dos próprios torcedores. Entretanto, o enraizamento do negócio nas arquibancadas não apenas enquadrou as torcidas como uma “clientela” das novas arenas, mas também provocou o surgimento movimentos de resistência que discutem a própria necessidade do futebol em se manter popular. O estudo apresentado nas páginas do livro se dedica a retratar o cenário que se desenha nestes anos de mudanças.

VEJA TAMBÉM: O livro que discute a transformação da cultura torcedora no Brasil

Às vésperas do lançamento de ‘Clientes versus Rebeldes’, um dos capítulos foi disponibilizado gratuitamente para a leitura. “Modelo Britânico com American Way” discute a influência dos estádios ingleses e dos esportes americanos na proposta “modernização” das arquibancadas no Brasil. Apresentando o que se aplicou na Inglaterra e nos Estados Unidos, o autor mostra como os estádios brasileiros foram inicialmente enquadrados em uma realidade que lhes era alheia, dentro de um plano rumo à Copa de 2014.

Abaixo, a leitura gratuita. Vale lembrar que, nesta quinta, além do lançamento de ‘Clientes versus Rebeldes’, também haverá no Rio de Janeiro um debate aberto sobre o “suicídio do Maracanã”. Gilberto Mascarenhas, Gustavo Mehl, Luiz Antônio Simas, Diego Lima e Edneida Freire estão entre os confirmados para a mesa. Você pode obter mais detalhes sobre o evento clicando aqui. Nas semanas seguintes, o autor também promoverá discussões sobre a temática de seu livro em São Paulo e Salvador.