How we play de game
(Como nós jogamos)

Matéria sensacional do New York Times, mostrando aos norte-americanos como funcionam os diferentes estilos de jogar futebol. Com texto e imagens, mostram a essência das escolas brasileira, inglesa, alemã, italiana, holandesa e espanhola. Organizado por Andrew Das, Alicia Desantis e Josh Keller.

World Cup: hope, then disappointment, for England’s sweltering supporters
(Copa do Mundo: esperança, depois decepção, para os torcedores ingleses)

Um relato da epopeia de torcedores ingleses que foram a Manaus. A matéria tem algumas palavras meio duras (muitas com exagero) contra a capital amazonense, mas vale a pena conferir “o outro lado”, já que a maioria dos relatos sobre a relação Manaus-Torcida inglesa é positiva. De Hadley Freeman, do Guardian.

Che tentazione il pallone! Tentato “furto” alla Nigeria
(Que tentação a bola! Tentaram “roubar” a Nigéria)

Galeria de fotos engraçada, mostrando vários garotos tentando roubar Brazucas durante treino da Nigéria no estádio Brinco de Ouro, em Campinas.

Também lemos isso de legal:

Jornalista alemão relata ‘odisseia’ rumo ao Pão de Açúcar

Engraçado relato de Martin Kaul no Globo. Ele conta como tentou ir ao Pão de Açúcar no Rio sem falar português. Há causos curiosos, a começar sobre como indicaram a ele o caminho de um supermercado.

25 hotéis recomendados pela Fifa em SP têm ar-condicionado sujo e bactéria

A Vigilância Sanitária de São Paulo visitou vários estabelecimentos indicados pela Fifa, e encontraram problemas em 25 deles (todos são hotéis entre três e cinco estrelas). Reportagem de Chico Felitti na Folha de São Paulo.

Não tocar os hinos foi uma vergonha, é verdade. Mas não acontece ‘só no Brasil’

Rodrigo Borges aproveitou o erro da organização de França x Honduras, que não tocou os hinos das seleções, para lembrar que o Brasil já foi vítima de problema parecido. Na Copa de 1986, contra a Espanha. No Blog Esporte Fino.

*lijep = “boas” em bósnio