De novo rolou o Armeration na Copa

Colômbia 2×1 Costa do Marfim: Vontade dos times rendeu jogo eletrizante

A crônica

O que faltou de qualidade no primeiro tempo da vitória da Colômbia sobre a Costa do Marfim foi compensado na etapa complementar, com diversas chances e grandes atuações de James Rodríguez e Juan Cuadrado, principalmente. Da vontade dos times, no entanto, ninguém pode reclamar. Mais uma vez, a entrada de Drogba levou o ataque marfinense a outro patamar. Precisando vencer na última rodada, os Elefantes talvez deverão apostar no ídolo começando o próximo jogo. Quanto aos colombianos, há mais o que se comemorar que a se ajustar, a partir dessa partida.

Marfinenses e colombianos fizeram um primeiro tempo de muito empenho, mas de pouca qualidade técnica. A bola ia de um ataque para o outro, mas dificilmente terminando em uma conclusão a gol. As defesas se postavam bem, com uma marcação em cima, mas é preciso reconhecer também que a falta de chances de gol se devia muito mais à pouca criatividade dos dois setores ofensivos. A Costa do Marfim apostava todas suas fichas apenas na ponta-esquerda, com Gervinho, enquanto Bradel e Aurier pouco eram acionados no flanco contrário. Já a Colômbia dependia demais das jogadas de James Rodríguez, que não conseguiu resolver as coisas no primeiro tempo. Juan Cuadrado, outra importante arma ofensiva dos Cafeteros, não fez muito na primeira metade do jogo, enquanto Ibarbo mal participava das jogadas.

No segundo tempo, a história da partida se transformou completamente. O ritmo intenso dos dois times se manteve, mas dessa vez dando algum resultado. O primeiro deles foi uma linda jogada individual de Juan Cuadrado pela direita, driblando o marcador e, sem ângulo algum, batendo forte, forçando o goleiro a espalmar para cima e contar com a sorte de a bola pegar no travessão. Pouco depois, a pressão funcionou, e, em cobrança de escanteio do jogador da Fiorentina, James Rodríguez subiu de cabeça para fazer 1 a 0.

Naturalmente, o gol forçou os marfinenses a se lançarem mais para o ataque, e um lance de tremenda “injustiça” com um dos personagens da partida deu origem ao segundo tento da Colômbia. Serey Die foi sair jogando, acabou desarmado e viu Teo Gutiérrez deixar Quintero na cara do gol para fazer 2 a 0. Justo Die, que havia chorado copiosamente durante o hino, mostrando todo seu orgulho por estar onde estava. Justo ele, que havia feito um bom primeiro tempo, acertando 96% de seus passes, sendo um dos principais responsáveis por conduzir a bola lá para a frente.  Pior que isso: logo após o erro, Sabri Lamouchi o sacou do jogo. A resposta da Costa do Marfim ao 2 a 0 foi quase imediata: três minutos após Quintero balançar a rede, Gervinho pegou a bola na ponta esquerda, driblou o primeiro marcador, deixou o segundo no chão e, de dentro da área, acertou uma forte finalização para diminuir o placar.

Ambas as equipes seguiram buscando mais gols, mas a chance mais clara depois disso veio de uma jogada completamente inesperada, sem nenhuma grande construção nem nada. Por volta dos 43 minutos, James Rodríguez ignorou que estava no meio do campo, quase na lateral, e, vendo Barry adiantado, mandou do meio da rua. A bola foi com tanta precisão que o goleiro marfinense precisou correr de volta à meta e, ainda assim, evitou com certo sacrifício que o colombiano marcasse o gol épico.

No geral, a vitória colombiana foi convincente. O futebol do primeiro tempo não foi muito bom, mas bastou passar o intervalo para que as coisas se acertassem. As atuações individuais de James Rodríguez e Juan Cuadrado, principalmente, talvez seja o principal motivo de comemoração para os Cafeteros, além, é claro, do resultado. Ainda observando o ataque, talvez esteja na hora de testar Jackson Martínez na vaga de Gutiérrez. Apesar de ter dado o passe para um dos gols, o jogador não teve o melhor dos desempenhos. Quanto aos marfinenses, talvez seja o caso de, mesmo no sacrifício, começar com Drogba como titular na última rodada diante dos gregos. Mais uma vez, a equipe melhorou com a entrada do jogador, que parece, de fato, colocar medo nos adversários. Diante de uma defesa que costuma fazer um ferrolho como a da Grécia, a alteração se faz ainda mais necessária.

FICHA TÉCNICA

Colômbia 2×1 Costa do Marfim

Colômbia

Colômbia_escudoDavid Ospina; Juan Zúñiga, Cristian Zapata, Mario Yepes e Pablo Armero; Abel Aguilar, Carlos Sánchez, Juan Cuadrado, James Rodríguez e Victor Ibarbo (Juan Quintero, 8′/2T); Teófilo Gutiérrez. Técnico: José Pekerman.

Costa do Marfim

Costa do Marfim EscudoBoubacar Barry; Serge Aurier, Didier Zokora, Souleymane Bamba e Arthur Boka; Cheick Tioté, Serey Die (Mathis Bolly, 28′/2T), Max Gradel (Salomon Kalou, 22′/2T), Yaya Touré e Gervinho; Wilfried Bony (Didier Drogba, 15′/2T). Técnico: Sabri Lamouchi.

Local: Estádio Nacional, em Brasília

Árbitro: Howard Webb (ING)

Gols: James Rodríguez, 19′/2T, e Juan Quintero, 25′/2T (Colômbia); Gervinho, 27′/2T

Cartões amarelos: Didier Zokora e Cheick Tioté (Costa do Marfim)

Cartões vermelhos: Nenhum

O cara

James Rodríguez foi o principal atleta colombiano durante o primeiro tempo, enquanto o jogo ofensivo de ambas as equipes não funcionava muito bem. Era ele quem chamava a responsabilidade para tentar dar criatividade ao time. No segundo tempo, fez um gol de cabeça, seguiu como principal armador e quase marcou um gol do meio de campo.

Os gols

19′/2T – GOL DA COLÔMBIA!

Cuadrado cobra escanteio, e James Rodríguez sobe de cabeça para fazer o primeiro da Colômbia.

25′/2T – GOL DA COLÔMBIA! No contra-ataque, Teo Gutiérrez toca para Quintero, na cara do gol, finalizar na saída de Barry e ampliar para 2 a 0. 28′/2T – GOL DA COSTA DO MARFIM! Linda jogada de Gervinho, limpando a zaga colombiana da esquerda para o centro antes de bater forte para diminuir a desvantagem.

A Tática
Escalações iniciais de Colômbia e Costa do Marfim

Escalações iniciais de Colômbia e Costa do Marfim

A Estatística

3 Número de assistências a que chegou Cuadrado nesta Copa do Mundo. É o maior número de um colombiano em uma única edição de Mundial desde 1966.