A Bélgica garantiu vaga na Copa do Mundo de 2018. Com os três gols saindo em um período de três minutos, venceu a Grécia por 2 a 1 e se garantiu na liderança do Grupo H, com duas rodadas restantes. É a 13ª  participação da seleção europeia em 21 edições do Mundial e, desta vez, a responsabilidade é alta para cumprir com as expectativas do que uma seleção com grandes jogadores pode fazer nos grandes palcos do futebol.

LEIA MAIS: Luxemburgo segura a França e consegue um 0 a 0 que entra para a eternidade

É com essa pressão que a Bélgica tem precisado lidar nos últimos anos, sem grande sucesso. Foi sexta colocada da Copa do Mundo de 2014, mas não teve ótimas exibições, nem eliminou nenhuma grande adversária. No primeiro confronto com uma campeã mundial, a Argentina, nas quartas de final, foi eliminada.

A decepção foi ainda maior na Eurocopa. A chave era favorável para alcançar pelo menos as semifinais, quando enfrentaria Portugal, mas a Bélgica não conseguiu passar por País de Gales e perdeu ainda nas quartas de final. Na fase de grupos, levou uma sapatada bonita da Itália.

A falta de resultados custou o emprego de Marc Wilmots. O novo treinador é Roberto Martínez, ex-Everton, o responsável por tentar transformar talentos como Lukaku, Hazard, De Bruyne, Carrasco, Mertens e outros titulares em clubes europeus de Champions League em um bom time, capaz de pelo menos igualar a melhor campanha da história da Bélgica em Copas do Mundo – o quarto lugar de 1986.

Por enquanto, tudo bem, pelo menos em resultados. A Bélgica venceu sete partidas em oito rodadas das Eliminatórias Europeias. O único tropeço foi em casa, contra a Grécia, a mesma adversária deste domingo. Vertonghen acertou um chutaço de fora da área e abriu o placar. Quatro minutos depois, Zeca aproveitou uma bobeada da defesa e apareceu livre na área para empatar. Logo na sequência, a Bélgica voltou à liderança do marcador, com Lukaku completando mais uma assistência de Meunier – que havia dado quatro passes decisivos e feito três gols no 9 a 0 sobre Gibraltar, na quinta-feira.

A Bélgica é a primeira seleção europeia garantida na Copa do Mundo – com exceção, claro, da anfitriã Rússia. Junta-se a Brasil, Irã, Japão e México.