O torcedor do Torino até manteve as suas esperanças. Não que o favoritismo da Juventus fosse menor, mas sempre dá para esperar algo a mais de um clássico decisivo – e em uma competição como a Copa da Itália, que muitas vezes não é tão valorizada pelos gigantes. Os grenás, entretanto, ficaram só na vontade. Mesmo sem alguns de seus titulares, a Velha Senhora se impôs no Estádio Allianz. Venceu por 2 a 0 com autoridade, e também com a ajuda da arbitragem no segundo gol. Avança para as semifinais, encarando a Atalanta.

Apesar de escalar o melhor à disposição, o Torino sofreu com os desfalques. Vários potenciais titulares estão no departamento médico, inclusive Andrea Belotti e Adem Ljajic. Diante do cenário, não demorou para a Juventus sair em vantagem. Aos 15 minutos, Douglas Costa aproveitou uma bola na entrada da área e acertou um belíssimo sem-pulo, no ângulo de Vanja Milinkovic-Savic. E embora os grenás criassem um ou outro lance de perigo, a maioria das oportunidades era dos bianconeri.

O segundo gol da Juventus, de qualquer forma, veio com sua dose de controvérsia, aos 22 do segundo tempo. Em um lance que começou com uma entrada sobre Afriyie Acquah, muito reclamada por seus companheiros, Mario Mandzukic aproveitou a sequência para estufar as redes. Nem mesmo com a revisão no VAR o árbitro mudou a sua decisão e assinalou a falta, o que revoltou o Toro e gerou a expulsão do técnico Sinisa Mihajlovic – que sequer concedeu entrevista após a partida. Nos minutos finais, coube à Juve administrar a diferença.

Atual tricampeã da Copa da Itália, a Juventus mantém o favoritismo absoluto na competição. No entanto, vai ter um embate duro nas semifinais, considerando o que a Atalanta aprontou nesta temporada. Pelo significado da competição à Dea, será um confronto a se jogar com intensidade. Já do outro lado do chaveamento, Lazio e Milan (justamente as vítimas dos bianconeri nas últimas três decisões) definirão o outro finalista.