Um time que já esteve na Copa da Uefa e passou anos na primeira divisão como uma equipe relevante e difícil de ser batida no famoso estádio Son Moix começa a recuperar a sua gloriosa história. O Mallorca está de volta à segunda divisão da Espanha, depois de um ano vivendo na terrível realidade da terceira divisão, a Segunda B, na Espanha. Uma divisão semiprofissional, com estádios pequenos, arquibancadas vazias e um equilíbrio de nível por baixo. Algo que os torcedores de um time como o Mallorca não se acostumaram a ver. Entre os responsáveis pela tentativa de reconstrução está o ex-jogador de basquete Steve Nash.

LEIA TAMBÉM: A outra face de Steve Nash: o dirigente que tenta tirar o Mallorca da terceirona espanhola

Apaixonado por futebol, Nash já era um dos sócios do Vancouver Whitecaps quando entrou como sócio também no Mallorca, ao lado do seu ex-chefe, Robert Sarver, dono também do Phoenix Suns, da NBA. O trabalho começou em janeiro de 2016, com os Bermellones em uma situação crítica. O time acabaria rebaixado à terceira divisão em 2016/17 e foi preciso pedir calma aos torcedores. Mas nesta temporada, o time conseguiu se organizar para voltar a galgar postos no futebol espanhol.

Um ano depois de cair da segunda para a terceira divisão, o Mallorca conseguiu diminuir o prejuízo. Depois de vencer o Grupo 3 da Segunda B, terceira divisão da Espanha, o time venceu o playoff com o Mirandés e volta à segunda divisão. Depois de vencer por 3 a 1 jogando em casa, ficou no 0 a 0 neste domingo jogando na casa do adversário e garantiu o acesso. Um acesso que causou mais alívio que comemoração, embora toda a região de Palma de Mallorca tenha celebrado muito. Foi um alívio de torcedores que sabiam que o time poderia estar em uma situação melhor do que essa.

Tradicional, o Mallorca passou 36 anos entre a primeira e a segunda divisão da Espanha. Da temporada 1981/82 até 2016/17, o time se revezava entre as duas principais divisões da Espanha. Foi quando acabou rebaixado para a terceira divisão depois de uma campanha muito ruim, em que terminou em 20º lugar na segunda espanhola – que tem 22 times.

O clube que já teve Miguel Angel Nadal como camisa 20, um jogador de seleção, até hoje o jogador com mais partidas pelo clube, com 255, volta a estar em uma divisão um pouco mais relevantes. O clube foi casa do Samuel Eto’o, maior artilheiro da história do clube com 54 gols, seguido pelo venezuelano Juan Arango, com 46. Passaram pelo Mallorca também o atacante Daniel Güiza, campeão da Eurocopa 2008 pela Espanha, com 28 pontos, e Pierre Webó, que marcou 27 gols.

Os méritos do acesso desta temporada passam pelo técnico Vicente Moreno, que assumiu o comando do time em junho. E, claro, Steve Nash. “Me sinto muito orgulhoso de todos eles, realizaram um grande trabalho ao longo de toda a temporada”, afirmou Nash ao Diario de Mallorca depois do acesso. “É incrível, estava difícil, mas os jogadores estavam fortes”, continuou o ex-jogador de basquete e agora dirigente. “Me encanta o futebol e o Real Mallorca é um clube histórico e grande. Queremos trabalhar no clube para fazer coisas maiores. É um momento importante para a entidade”.

A terceira divisão espanhol é regionalizada. São quatro grupos, sendo que os primeiros colocados de cada um disputam as duas vagas na segunda divisão. Além do Mallorca, quem também sobe de divisão é o Rayo Majandahonda, que eliminou o Cartagena. Depois de perder por 2 a 1 fora de casa, venceu por 1 a 0 e sobe pelo gol fora de casa.

LEIA TAMBÉM: Vallecas em festa: Rayo Vallecano está de volta à primeira divisão do Campeonato Espanhol