As regras do jogo estão definidas. A Fifa divulgou como será feito o sorteio da Copa do Mundo de 2014, marcado para esta sexta. E a novidade está na seleção europeia que sobra do pote do continente. Como são nove países europeus de fora das cabeças de chave, um precisará ser deslocado ao lado de equipes de outras partes do mundo. Ao invés da França, pior dessas no Ranking da Fifa, o ‘falso nove’ será sorteado aleatoriamente.

De resto, nada de novo. Os cabeças de chave são conhecidos há semanas: Brasil, Argentina, Colômbia, Uruguai, Alemanha, Espanha, Bélgica e Suíça. O pote 2 reúne os cinco africanos, Chile e Equador, mais o europeu que sobrar. O pote 3, as seleções da Ásia e da Concacaf. Já no pote 4, os demais participantes da Europa.

Mas, afinal, quais as consequências dessa decisão da Fifa? Respondemos em três perguntas:

O que muda com esse novo sorteio?

A Fifa diminui as chances de criar um grupo da morte. Ao invés de jogar a França em um grupo com outro europeu e um cabeça de chave sul-americano, deixa em aberto essa possibilidade. É lógico que as chances de juntar favoritos na mesma chave ainda são grandes, com Holanda, Inglaterra e Itália podendo mudar de pote agora. No entanto, agora também existe a possibilidade de Bósnia, Croácia, Grécia, Portugal ou Rússia serem esse coringa do sorteio.

Quem é o grande beneficiado com a mudança?

Em teoria, a França e os sul-americanos cabeças de chave. Invariavelmente, o europeu que sobrar para o outro pote pegará Argentina, Brasil, Colômbia ou Uruguai na fase de grupos. As chances de duelar com dois figurões europeus na próxima etapa ainda existem, mas, como explicado na pergunta acima, são menores.

Qual o pior cenário possível para o ‘Grupo da Morte’?

Contar com três campeões mundiais. Se França, Inglaterra ou Itália for transferida de pote, ela tem 75% de chances de cruzar com Argentina, Brasil ou Uruguai na fase de grupos. Além disso, restam mais 25% de chances de pegar um dos dois europeus que sobrarem no pote do continente. Nunca uma Copa teve três ex-campeões do mundo na mesma chave – apenas quando algum deles ainda não tinha levantado o caneco, em 1966 (Inglaterra, Uruguai, França; Alemanha Ocidental, Argentina, Espanha) e em 1978 (Itália, Argentina, França).