Ajax e Anderlecht estão entre os oito clubes que disputaram mais edições de copas europeias. Os belgas ocupam a terceira posição da lista, só atrás de Real Madrid e Barcelona. Já os holandeses dividem a sétima colocação com a Juventus, abaixo também do trio de ferro de Portugal. Os dois gigantes possuem um histórico riquíssimo além das fronteiras. Juntos, ergueram 13 taças continentais – com destaque para as quatro Champions do clube de Amsterdã. Porém, apesar da grandeza, ambos sofreram com a reconfiguração econômica do futebol europeu. Continuam dominantes em seus países, mas as boas campanhas nos torneios da Uefa rarearam. Assim, o peito de seus torcedores se enche de esperanças nesta temporada, mesmo que a realidade atual seja modesta quando comparada ao passado. Tanto Ajax quanto Anderlecht se classificaram às quartas de final da Liga Europa, o que não acontecia fazia um bom tempo.

A última aparição do Ajax nas quartas de final de uma competição europeia foi em 2002/03. O time treinado por Ronald Koeman brilhou na Liga dos Campeões. Nas duas fases de grupos, encarou adversários de peso, como Arsenal, Roma, Valencia, Internazionale e Lyon. Caiu apenas para o Milan de Carlo Ancelotti, que acabaria com o troféu naquele ano. Em campo, um timaço repleto de talentos: Zlatan Ibrahimovic, Rafael van der Vaart, Cristian Chivu, Wesley Sneijder, Jari Litmanen. Já na antiga Copa da Uefa, os Godenzonen ficaram entre os oito melhores pela última vez em 1997/98, eliminados pelo Spartak Moscou. Seis anos antes, conquistaram a taça, batendo o Torino na final. Time de Louis van Gaal, que contava com Dennis Bergkamp, Danny Blind, Wim Jonk, Aron Winter, Frank de Boer, entre outros.

O Anderlecht, por sua vez, não vai tão longe em uma competição europeia há 20 anos. A última vez aconteceu na Copa da Uefa de 1996/97. Os Mauves passaram por três fases eliminatórias, mas não resistiram à Internazionale de Roy Hodgson. Antes disso, faturaram o título em 1983, batendo o Benfica na final, e desperdiçaram a chance do bicampeonato na decisão contra o Tottenham em 1984, quando caíram nos pênalti. Em 1970, no “protótipo” do que se tornaria a competição, a Taça de Feiras, os belgas ainda foram vice-campeões.

Nesta temporada, o destino de Anderlecht e Ajax se cruzaram nas preliminares da Champions. Ambos acabaram eliminados pelo Rostov, antes de serem repescados à Liga Europa. Os belgas tiveram seu grande feito nos 16- avos de final, ao desclassificarem o embalado Zenit. Já nas oitavas, acumularam duas vitórias por 1 a 0 contra o Apoel Nicósia. Nesta quinta, Frank Acheampong saiu do banco para definir o placar. O Ajax de campanha contundente nas etapas anteriores, não havia sofrido uma derrota sequer até cruzar com Copenhague, nas oitavas. Perdeu por 2 a 1 na Dinamarca, mas se recuperou na volta em Amsterdã, diante de sua inflamada torcida. Bertrand Traoré abriu o placar, após grande jogada de Amin Younes, e Kasper Dolberg anotou o gol da classificação, de pênalti. O triunfo por 2 a 0 foi suficiente para a classificação.

Diante dos sobreviventes na Liga Europa, Anderlecht e Ajax não aparecem no primeiro pelotão de favoritos. Mas ambos demonstram potencial para surpreender, recheados de jovens talentos – que, infelizmente, logo devem deixar os elencos rumo a centros maiores do continente. Por enquanto, podem render muito na Bélgica e na Holanda. E fazer as tarimbadas camisas entortarem o varal. Seria mais legal ainda ver ambos dando um passo além, rumo às semifinais.