Jorge Sampaoli complementou nesta segunda a última convocação da Argentina antes da lista final para a Copa do Mundo. O treinador já tinha chamado os jogadores de clubes estrangeiros e, desta vez, integrou também aqueles que atuam no campeonato local. Não há grandes surpresas, apesar das novidades. Lautaro Martínez, novo xodó do país, arrebentando com a camisa do Racing, ganhou a primeira chance. Além disso, o treinador se mostra atento com os momentos de Independiente e Boca Juniors. São duas apostas vindas de cada clube, que talvez sejam úteis para compor o elenco rumo à Rússia.

A chance a Lautaro Martínez é merecida, por tudo o que o jovem atacante vem apresentando nas últimas semanas. Sampaoli já o observava desde 2017, embora as lesões tenham minado seu espaço. Já a partir deste ano, o técnico o acompanhou de perto, visitando os treinos e os jogos do Racing. Certamente não se arrependeu, ao ver in loco as tripletas contra Huracán e Cruzeiro. É um jogador de 20 anos, mas de ascensão inegável e capacidade para brilhar – não à toa, com o destino encaminhado à Internazionale para a próxima temporada. Combina a explosão física com muita inteligência na movimentação e qualidade nas finalizações. Em um time de grandes atacantes, pode adicionar um tempero a mais. Resta saber se alguma das estrelas da Europa perderá a vez. Paulo Dybala e Mauro Icardi, ignorados nesta convocação, são os mais ameaçados.

Do Boca Juniors, são dois jogadores. E nada de Carlos Tevez, apesar de seu recomeço positivo na Bombonera. Quem parece mais próximo da Copa é Cristian Pavón, outro prodígio para encher os olhos de Sampaoli. O ponta de 22 anos foi chamado em outras ocasiões e é um jogador incisivo, habilidoso e driblador. Parece um passo à frente dos concorrentes para integrar a lista final. Já no meio, o comandante recorreu ao experiente Pablo Pérez, um jogador multifuncional e que entra na disputa diante da lacuna no meio-campo central. Destaque em seus tempos de Newell’s Old Boys, nunca havia ganhado uma oportunidade na seleção. Sua importância no atual grupo dos xeneizes, de qualquer maneira, referenda os créditos, pela organização que oferece.

Já do Independiente, mais dois novatos. Aos 21 anos, Fabricio Bustos já se colocava entre os melhores laterais do Campeonato Argentino. É um jogador de muita energia e capacidade no apoio. Por aquilo que faz em Avellaneda, pode acrescentar ao dinamismo exigido por Sampaoli. Mostrará seus predicados ao treinador pela primeira vez, considerando que precisou ser cortado de uma convocação anterior. E para o meio ofensivo, o treinador confia em Maximiliano Meza – o menos cotado entre os cinco chamados. O jogador de 26 anos, formado pelo Gimnasia La Plata, atingiu seu ápice no Rojo de Ariel Holan. É um dos pilares da equipe, por sua qualidade nas chegadas ao ataque, entrando como meia central ou ponta. O camisa 8, inclusive, fez boas partidas contra o Flamengo na final da Copa Sul-Americana – anotou um gol na ida e sofreu o pênalti da volta.

O intuito de Sampaoli fica claro: injetar sangue novo, em jogadores que se destacam no momento, mas também possam ser úteis a longo prazo; e buscar novos nomes que possam ajudar no meio, após outros veteranos serem testados no último semestre – Enzo Pérez, Fernando Belluschi e Fernando Gago. Há outras preocupações evidentes, como a falta de um goleiro totalmente confiável ou de zagueiros que formem um conjunto sólido. Mas ninguém deve acusar o treinador de não acompanhar a liga local ou mesmo por falta de ousadia. Os amistosos contra Itália e Espanha podem pavimentar o caminho destes novatos à Copa do Mundo.