O caminho natural a quem se destaca no Brasileirão é ir se #DesenvolverNaEuropa. No entanto, algumas figuras ilustres do nosso glorioso campeonato, já envelhecidas pelo carcumido do tempo, nunca fizeram a tão sonhada viagem. Não sabíamos dizer o motivo na Parte 1, e entendemos menos ainda nessa segunda parte de puras estrelas com jeito de futebol europeu:

LEIA MAIS: Corneta Europa entrevista Xavi, que PASSOU o seu recado

Obina: Melhor que o Eto’o ele pode não ser, mas do nível de 92% dos centroavantes do Francesão é com certeza. E pra quem foi ídolo dum clube do tamanho do Flamengo, envergar a 9 do Saint-Étienne ia ser fichinha para Obiná.

Élder Granja: Há quem não lembre, mas foi até cogitado pra seleção em 2005, após se destacar pelo Internacional de Muricy vice do Brasileirão. E o pior é que ele tinha muito a cara do Sevilla. E se considerarmos que o lateral do Sevilla era o Daniel Alves, o glorioso Granja não fica(va) tão atrás mesmo. Pararei de escrever antes de imaginá-lo com a camisa do Barcelona e da Seleção.

Renato Abreu: A verdade é que se Felipe Melo pôde, Renato Abreu poderia em dobro. No auge de cada um, jogou no mínimo no mesmo nível, o que minimamente já valeria um espaço entre Torino e Sampdoria.

Paulo Baier no Bayer Leverkusen seria muito legal

Paulo Baier no Bayer Leverkusen seria muito legal

Paulo Baier: Aplicação tática, incansável e ainda cumpridor de bola parada, teria feito o nome naqueles times do Alemãozão que sobem e descem todo o ano – St Pauli ou algo assim. Não tardaria a vestir a 8 do Leverkusen onde estamparia a manchete do Meia Hora local: “Ao Baier o que é de Bayer”.

Araújo: Fiquei consternado ao saber que ele jamais jogou na Europa – preferiu o Japão e depois o MUNDO ÁRABE. Tivesse esperado, ou mesmo ter editado melhores DVD’s, pegaria no mínimo um Braga, onde faria um ataque dos sonhos com Márcio Mossoró.

BÔNUS

Euller: A ida de jogadores para Europa se divide com a chamada Era Doni e o Filho do Vento infelizmente teve seu brilho no período Antes de Doni. Caso contrário, poderia ter feito fama no Arsenal, com o triplo de conquistas de Overmars, Ljunberg e aqueles corredorzinho tudo.

Você também pode se interessar por:

>>>> Sugestões para amistosos de pré-temporada ainda mais aleatórios

>>>> As rebas que foram para a Europa durante a Copa