Robben recebe marcação de Wellington em amistoso entre Bayern de Munique e São Paulo (AP Photo/Matthias Schrader)

Como seria o calendário brasileiro adequado à temporada europeia

Por Elcio Mendonça

A proposta abaixo foi enviada por Elcio Mendonça. Selecionamos por ser uma das que propõe a adequação do calendário brasileiro ao europeu. Achávamos que chegariam muitas propostas com esse princípio básico, mas foi minoria. De qualquer forma, é um tema importante a se conversar, até porque ajudaria a aumentar o intercâmbio entre clubes brasileiros e europeus, algo cada vez mais raro.

TEMA DA SEMANA: Vocês mandaram e nós mostramos algumas propostas de calendário para o futebol brasileiro

A ideia principal é adaptá-lo ao restante do futebol mundial. Em um mundo globalizado, não faz sentido apresentarmos um calendário que não tenha o mesmo modelo dos principais campeonatos por todo o planeta. Isso faz com que as janelas de transferências sejam “tortas” e que os clubes não possam internacionalizar a sua marca durante a pré temporada, algo bastante utilizado pelos europeus, por exemplo. Mas, para mim, o principal objetivo é evitar que a cada quatro anos tenhamos que encurtar o calendário (sem muito planejamento, diga-se de passagem) por conta da Copa do Mundo. Além disso, a adaptação facilitaria o recesso do futebol nacional durante as “datas Fifa”. Outro ponto importante que busquei é a diminuição no número de jogos, buscando poupar os atletas e valorizar o produto. Afinal, com mais jogos a qualidade cai, sem falar que o torcedor não tem dinheiro para comprar ingresso quarta e domingo. Aproveitei e estiquei a abrangência do calendário para as competições da Conmebol.

Supercopa do Brasil (1 data)

– Disputada em jogo único, com sede rotativa (preferência para as arenas menos utilizadas após a Copa) e envolvendo os campeões do Brasileirão e da Copa do Brasi. Será dispuitada no primeiro final de semana de agosto, abrindo oficialmente a temporada brasileira

Campeonato Brasileiro (38 datas)

– 3 divisões com 20 clubes, disputadas em pontos corridos. Começaria no segundo final de semana de agosto, com encerramento no penúltimo final de semana de maio. 4 clubes rebaixados por divisão. Em ano de Copa o calendário será antecipado em uma semana

– A Quarta Divisão contará com 64 clubes, divididos em 4 ligas regionais (Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste/Norte), com 16 clubes cada. Será disputada em duas fases, de setembro a junho. A primeira com pontos corridos, totalizando 30 datas. Na segunda, os seis melhores colocados se enfrentarão no “mata-mata”. Os dois melhores times da fase inicial avançam diretamente para a semifinal. O campeão de cada liga regional garante o acesso para a terceira divisão. A ideia é ter todos os “mata-matas” em junho (exceto em anos de Copa), quando as outras três divisões estarão de férias

– Abaixo da Quarta Divisão nacional estarão os Estaduais, também disputados entre setembro e junho (exceto em anos de Copa), que servirão como divisão de acesso para o Campeonato Brasileiro. Cada estado poderá optar pelo próprio formato de competição, mas serão obrigados a ter calendário durante 10 meses.

LEIA MAIS: Calendário da CBF em 2015 avança tão pouco que nem dá para comemorar

Libertadores (14 datas) e Sul-Americana (12 datas)

– Terão a mesma forma de disputa, mas acontecerão simultaneamente, nas “datas Conmebol”, que servirão como as “datas Fifa”. O calendário brasileiro terá recesso nas datas sul-americanas.

– A primeira fase da Libertadores será disputada entre setembro e dezembro. Já o mata-mata, entre fevereiro e maio. A Sulamericana, por sua vez, terá a fase inicial, com 48 clubes, em dezembro. Os 8 terceiros colocados na fase de grupos da Libertadores serão migrados para a Sulameircana, que terá o “mata-mata” com 32 times entre fevereiro e maio.

Copa do Brasil (10 datas)

– Disputada por 128 clubes (124 clubes que disputam as 4 divisões nacionais + 4 clubes escolhidos pelo ranking da CBF), entre janeiro e maio. A final será realizada no primeiro final de semana após o encerramento do Brasileirão

– Partida única nas três fases iniciais, sempre na casa do pior ranqueado. Os confrontos sempre levarão em conta a classificação no Brasileiro do ano anterior. Na primeira fase, por exemplo, os times das Séries A, B e C, além dos quatro promovidos da D para a C, enfrentarão os demais 64 clubes. A ideia é direcionar os confrontos até as oitavas de final, quando teremos um novo sorteio.

– Oitavas de final, quartas de final e semifinal serão disputadas em jogos de ida e volta. A final, por sua vez, em partida única no Maracanã.

PROPOSTA: Por que gostamos do calendário do Bom Senso, e o que faríamos diferente

Estaduais (6 datas) / Copa do Nordeste e Copa Verde (8 datas)

– Disputados em formato de Copa, tenho a primeira fase com grupos e depois mata-mata (semifinal e final). Poderão ter 12 ou 16 clubes, dependendo do estado, mas a formula de disputa será a mesma. Grupo com 4 clubes e disputa em turno único, passando os 4 melhores para a semifinal, que será disputada em dois jogos. A final terá partida única

– Os Estaduais serão disputados entre setembro e dezembro

– A Copa do Nordeste e a Copa Verde terão o mesmo formato, mas com 20 clubes, divididos em 4 grupos. A final, assim como a semifinal, terá dois jogos. Será disputada entre o final de agosto e a metade de dezembro

Recesso de final de ano

– Por conta das comemorações de final de ano o calendário terá recesso de duas semanas, com início no último final de semana antes do Natal (quando serão disputadas as finais dos Estaduais e das Copas do Nordeste e Verde)

Férias e pré-temporada

– As férias serão no mês de junho, exceto a quarta divisão e as divisões estaduais, que entrarão em julho.

– A pré temporada acontecerá no mês de julho, exceto a quarta divisão e as divisões estaduais, que a farão em agosto.