OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Conheça o clássico que tem média de 100 mil torcedores a cada jogo

O futebol está longe de ser um grande atrativo na Índia. Apesar do potencial enorme de mercado e do interesse crescente da população pelo esporte, os planos de criar uma liga relevante regionalmente e que atraia jogadores renomados está apenas no papel. A I-League existe desde 2007, mas sequer rende vagas na Liga dos Campeões da Ásia. Ainda assim, quando o maior clássico do país é disputado, a atmosfera não deixa a desejar em nada. A segunda nação mais populosa e o segundo maior estádio do planeta garantem a grandiosidade do Dérbi de Calcutá.

O clássico entre Mohun Bagan e East Bengal é disputado desde 1925 e conta com 307 confrontos. Os ânimos acirrados entre as duas torcidas são explicadas por uma divisão regional: o Mohun Bagan representa a população do oeste da região de Bengala, onde fica a cidade de Calcutá; do outro lado, o East Bengal é usado como bandeira do leste, que se transformou em Bangladesh com a independência do império britânico, em 1947. São os Ghoti, os ‘locais’, contra os Bangal, os ‘imigrantes’, que costumam sofrer preconceito das elites de Calcutá.

“Calcutá é conhecida na Índia como a Meca do futebol. Em toda a região de Bengala Ocidental, a população é dividida entre os dois clubes”, conta o jornalista indiano Laltu Chakrabarty, em entrevista à revista francesa So Foot. “Em 1975, um torcedor do Mohun Bagan se suicidou após uma derrota por 5 a 0 para o rival. Na carta de despedida, ele escreveu que sua intenção era se reencarnar como um jogador de futebol para marcar muitos gols contra o East Bengal e reverter a derrota algum dia. Já os jogadores do time precisaram ficar escondidos em um barco no Ganges, para não sofrerem represálias da torcida”.

A casa tradicional do dérbi é o Estádio Salt Lake, que possui capacidade para 120 mil espectadores – o segundo maior do mundo, atrás apenas do Rungnado May Day, na Coreia do Norte. “A média de público chega a 100 mil torcedores e, em 1997, houve o recorde de 137 mil pessoas no estádio para ver o dérbi. Quando há uma ação de perigo nos jogos, o nível de barulho gerado pelas torcidas se aproxima aos decibéis de dez aviões em decolagem”, complementa Chakrabarty. “Em geral, a rivalidade é pacífica. Mas também existem episódios trágicos, como em 1980, quando 16 pessoas foram mortas em um tumulto. Desde então, 16 de agosto se transformou no ‘Dia dos Apaixonados por Futebol’ na Índia, com doações de sangue organizadas pelos dois clubes”.

O encontro mais recente foi disputado neste sábado, pela última rodada da Liga de Calcutá, torneio regional indiano. O Mohun Bagan venceu por 1 a 0 e jogou um pouco de água no chope do East Bengal, que já havia se sagrado campeão e tentava encerrar a campanha de maneira invicta. O suficiente para proporcionar uma grande festa no Estádio Salt Lake, que esteve longe da lotação máxima, mas que, com 50 mil torcedores, já conseguiu dar uma boa mostra de como é o grande clássico da Índia.

No vídeo abaixo, as imagens da torcida ocupando as arquibancadas para o duelo deste sábado ajuda a dimensionar o dérbi: