A iniciativa da Juventus antecipou uma necessidade na Serie A: a construção de estádios próprios. Se as finanças dos clubes italianos não andam muito bem, em parte essa crise é explicada pela falta de lucros com suas casas. Estádios obsoletos, que não atendem as necessidades e sequer revertem grandes rendas. O sucesso dos bianconeri nos últimos anos foi impulsionado também pela inauguração do Juventus Stadium. E, depois de Milan e Inter aludirem à mudança, agora é a Roma quem apresenta a cara de sua nova casa. Inspirada no maior símbolo da capital, a arena foi descrita como ‘um Coliseu moderno’ por seu arquiteto.

Os giallorossi divulgaram as primeiras fotos do Stadio della Roma, com capacidade para 52,5 mil pessoas, mas com a possibilidade de expansão para 60 mil lugares. A nova arena deverá substituir como casa dos romanistas o Estádio Olímpico, que, a princípio, ficará apenas com a Lazio. O financiamento e a gestão da obra de € 300 milhões serão totalmente privados, com previsão de inauguração para 2016/17, restando apenas a aprovação das autoridades locais para o início da construção. Além da infraestrutura que se espera de um estádio, o local contará com restaurante, anfiteatro e lojas. Já no terreno ao lado, também será erguido um novo centro de treinamentos para o clube da capital.

No evento que marcou a apresentação das estruturas do Stadio della Roma, estiveram presentes alguns ícones atuais da Roma, como Francesco Totti e Daniele De Rossi, assim como ídolos do passado do calibre de Falcão e Bruno Conti. “O projeto fala por si. É lindo. É uma casa, uma casa para todos os romanistas. Esperamos vencer muito aqui”, disse Totti. Aos 37 anos, Il Capitano tem contrato com o clube até junho de 2016. Talvez queira ampliar sua carreira por um ano mais para jogar no estádio. Ou realizar uma despedida que marque a inauguração do novo símbolo da Roma.

roma2-650x325

roma1-650x325

roma4-650x325

roma3-650x325

roma6-650x325