Destroçado pela Roma no meio de semana, o Chelsea precisava mudar para o confronto importantíssimo contra o Manchester United, pela Premier League, neste domingo. O retorno de N’Golo Kanté ao time titular era um alívio para qualquer torcedor dos Blues, e o meio-campista realmente fez a diferença. Basta notar a maneira como os londrinos voltaram a jogar com segurança na contenção, além do impulso que Cesc Fàbregas e Tiemoué Bakayoko tiveram, bastante participativos na vitória por 1 a 0. Entretanto, outra mudança pontual – e surpreendente – aconteceu na defesa. David Luiz acabou fora até mesmo do banco de reservas. Andreas Christensen entrou e deu conta do recado. Foi muito bem na cobertura e no jogo aéreo.

VEJA TAMBÉM: Chelsea teve a postura que se exigia para responder as críticas e bater o United com autoridade

O resultado aliviou a pressão sobre o Chelsea, assim como reafirmou o lugar da equipe no Top Four da Premier League. Mas nem tudo é calmaria em Stamford Bridge. A ausência de David Luiz continuou repercutindo no clube. E, pelos relatos da imprensa local e pelas declarações de Antonio Conte, talvez o brasileiro não volte a figurar no time tão cedo. Há um sinal claro de descontentamento.

“É simples explicar minha decisão. O técnico precisa escolher o melhor para o time. E, nesta noite, era melhor jogar com Andreas Christensen e ter Ethan Ampadu no banco de reservas. São bons jogadores para o presente e para o futuro do clube. Decidi isso hoje, posso decidir diferente no futuro. É normal. Eu tenho que fazer a melhor escolha para o clube, não para um único jogador. Foi apenas uma decisão tática, pode acontecer com qualquer um dos meus atletas. Se eu vejo que eles não estão em boa forma, isso é normal”, declarou Conte, logo após a partida.

Perguntado sobre o futuro de David Luiz em Stamford Bridge, porém, o treinador apenas aumentou a interrogação: “Vocês falam sobre o futuro dele, mas todos os dias falam sobre o meu futuro. Todos os dias meu futuro é discutido na imprensa. Não sei qual o futuro de David, Andreas é o presente e o futuro. Ele precisa trabalhar realmente duro, de outra maneira ele permanecerá no banco de reservas ou nas arquibancadas”.

Segundo a Sky Sports, Conte e David Luiz entraram em atrito logo depois da derrota para a Roma na Champions. O defensor questionou as escolhas táticas, o que desagradou o italiano. No treino de sábado, o zagueiro teria ficado apenas dez minutos em campo, antes de ser retirado das atividades. O porta-voz do Chelsea negou qualquer problema. Já no domingo, a rede de televisão afirma que o brasileiro treinou sozinho, enquanto o restante do elenco se concentrava ao jogo. Em Stamford Bridge, viu o duelo nas tribunas.

David Luiz é um jogador que possui suas falhas, especialmente por erros de posicionamento. Ainda assim, havia reencontrado o seu melhor futebol com Conte, jogando muito bem na última temporada – mais resguardado quanto às suas deficiências e com liberdade para avançar. Diante da Roma, foi um dos piores do time, mas em uma noite na qual o sistema defensivo ruiu. Não dá para saber o quanto o conflito com Conte se concentra puramente nas divergências de pensamento ou se o treinador também possui alguma insatisfação técnica. De qualquer maneira, o zagueiro permanecia como um dos intocáveis dos Blues. Nas dez rodadas anteriores da Premier League, só não tinha jogado em duas partidas, quando estava suspenso. Já na Champions, se ausentou apenas contra o Qarabag, poupado. Contra a Roma, após atuar no meio-campo durante o empate por 3 a 3 em Londres, quando saiu logo no início da segunda etapa, voltou à zaga na visita à Itália.

Independentemente do futuro de David Luiz, outro ponto fica sobre a própria relação de Conte nos corredores do Chelsea. A queda de braço com Diego Costa ganhou contornos bastante pessoais. Já nas últimas semanas, a imprensa inglesa (incluindo veículos sérios, como o Guardian) relatou os atritos com membros do elenco, além da insatisfação de Roman Abramovich. O desempenho dos atuais campeões ingleses não vem sendo tão bom quanto na temporada passada, mas o retorno de Kanté pode auxiliar a recuperação. Desde que as turbulências no ambiente interno não interfiram no que acontece dentro de campo. A resposta precisa ir além.