Livros de histórias sobre futebol não chegam a ser uma novidade no mercado brasileiro. Além dos clássicos de Nelson Rodrigues e Mario Filho, há dúzias de opções de autores contemporâneos, variando entre nomes famosos e totais desconhecidos. Para quem gosta do gênero, “Contos de Futebol”, de Aldir Garcia Schlee, certamente está no topo da lista.

Antes de falar do livro, é preciso fazer um comentário sobre o autor. Schlee criou nada menos que o uniforme atual da Seleção Brasileira – a famosa combinação de camisa amarela com detalhes verdes, calção azul e meias brancas. Mas seria injusto dizer que essa foi sua única realização. Na verdade, Schlee é um escritor respeitado, com vários prêmios em seu currículo.

Ao se ler o livro, não tarda muito para se notar que o autor tem estofo. Schlee se mostra confortável o bastante para imprimir seu estilo pessoal ao texto, com repetições e expressões características, e também faz algumas experiências com a linguagem – experiências essas que nas mãos de outros autores poderiam deixar o texto confuso, mas que neste livro em geral têm resultados muito bons.

Chama a atenção em “Contos de Futebol” uma outra característica: a ambientação das histórias, que se passam todas na fronteira entre Brasil e Uruguai – região onde Schlee vive. Isso é especialmente interessante no primeiro conto, que fala sobre o batido assunto da final da Copa de 1950, e mesmo assim se sai bem, graças à região onde a história se passa.

Se há uma crítica a se fazer para “Contos de Futebol”, essa diz respeito justamente ao nome do livro. Além de ser um título que não diz nada, ele é impreciso. Isso acontece porque a maioria dos contos não dizem respeito propriamente ao futebol, mas sim a personagens e histórias que orbitam ao redor do esporte. Além disso, um aviso se faz necessário: quem espera textos leves e alegres irá se decepcionar. Na maior parte do livro, os textos de Schlee são densos, imprimindo um tom que freqüentemente chega à tristeza e à melancolia.

Mas é justamente isso que diferencia “Contos de Futebol” de tantos outros livros do tipo que há no mercado. Schlee é um autor maduro que faz textos maduros para leitores maduros. O futebol agradece.