Apesar de viver em Hull por mais de 40 anos, o empresário egípcio Assem Allam não conseguiu captar bem o espírito da cidade e o significado do clube Hull City para seus cidadãos. Por isso, tem seguido em frente com seus planos de mudar o nome do clube para Hull Tigers, como se fosse uma franquia norte-americana qualquer. Os torcedores já deixaram claro que não aceitariam esse arrojo calados, e têm se expressado firmemente pela permanência do nome que a equipe carrega desde 1904, ano de sua fundação.

Desta vez, a mensagem dos torcedores veio por meio de um emocionante vídeo feito pelo movimento “City Till We Die” (“City até a morte”, em português), já que dentro do estádio estão proibidos de se manifestarem. Junto do clipe, o grupo publicou em seu site uma nota explicando que, na segunda-feira, teve uma reunião com representantes da Football Association sobre a mudança de nome do clube. Os torcedores contam que a federação pediu que uma proposta fosse apresentada, o que os responsáveis pelo City Till We Die fizeram, inclusive tornando pública a proposta em seu site, com um documento de 21 páginas, um áudio explicativo de sete minutos, uma apresentação digital e o vídeo, que você pode ver aqui abaixo.

Entre palavras emocionantes e argumentos consistentes, destacamos um dos melhores trechos do vídeo, que ainda não conta com legendas em português.

“Não podemos viver no passado e nem queremos. Nós entendemos que o futebol moderno é sobre negócios, mas nosso passado está enraizado na personalidade de nosso clube, nossa cidade e nosso caráter. É a nossa identidade, nossa história e quem somos. Enquanto para alguns um nome é apenas um nome, para nós, as palavras “Hull City AFC” fala muito sobre coisas as quais amamos. A cidade de Hull, o preto e o âmbar, os tigres e os gritos.”