Nada de ofensas, se não caio fora. A Austrália teme a repetição das hostilidades na repescagem da Copa contra o Uruguai, marcada para 12 de novembro. Os Socceroos ameaçam deixar o gramado caso passem pelos mesmos apuros sofridos há quatro anos, contra os mesmos uruguaios, em Montevidéu.

Na ocasião, os australianos alegam terem sido vítimas de cusparadas e agressões em sua passagem pela América do Sul, na qual saíram derrotados por 3 a 0. John O’Neill, executivo-chefe da Federação de Futebol da Austrália (FFA), exigiu maior segurança para os jogadores.

“Já vi isso antes, na final da Copa do Mundo de rugby em 99. Os franceses começaram a enfiar os dedos nos olhos dos australianos, e o capitão do time ameaçou tirar a equipe do campo se aquilo continuasse. Se houver um árbitro e bandeirinhas de boa qualidade e que conduzam o jogo dentro das normas, não deveríamos chegar a esse ponto. Da mesma forma, não seremos ‘florzinhas’”, disse.