Quando Jorge Sampaoli chegou à seleção argentina, o intuito não era apenas que ele colocasse ordem na casa e fizesse o time apresentar um futebol digno da qualidade de seu elenco. Esperava-se também que o novo treinador aumentasse o seu escopo nas convocações. O que, de fato, acontece nas primeiras listas. O novo comandante não apresenta as amarras de seus antecessores. Oferece espaço, inclusive, a atletas em ascensão dentro do próprio Campeonato Argentino. E não há sinal maior desta abertura do que o chamado de Darío Benedetto para os jogos contra Uruguai e Venezuela, nesta Data Fifa.

O ponto não é apenas a boa fase de Benedetto. De fato, o centroavante vive excelente momento com o Boca Juniors neste ano, mantendo uma média de gols alta e liderando os xeneizes na conquista da liga nacional. O que chama mais atenção é o fato de que o novato chega à equipe nacional em uma posição que costuma ter concorrência altíssima, pela quantidade de jogadores em destaque na Europa. Não deve ser titular, mas apenas a chance de figurar ao lado de Mauro Icardi e Sergio Agüero como principais alternativas à função (e com Gonzalo Higuaín preterido) já representa bastante ao camisa 9.

O domingo não poderia ser mais inspirado a Benedetto. Horas antes da divulgação dos nomes dos jogadores locais convocados à seleção, o artilheiro comandou a vitória do Boca Juniors na estreia do Campeonato Argentino. Assistido por Tevez nas tribunas da Bombonera, o centroavante marcou dois gols nos 3 a 0 sobre o Olimpo. Não é um jogador tão técnico quanto Icardi ou Agüero para protagonizar a linha de frente da Albiceleste. Contudo, possui as suas qualidades, especialmente pela presença de área e pela velocidade de raciocínio. Pode ser útil por mudar as características do time. E se seleção costuma priorizar a fase, não há momento melhor para dar uma brecha ao xeneize de 27 anos.

Goleador do último Campeonato Argentino, Benedetto soma 23 gols em 26 jogos pela liga desde que aportou à Bombonera. Além disso, a Copa Argentina ajuda a impulsionar os seus números. Revelado pelo Arsenal de Sarandí e com passagens por outras equipes do país, o centroavante se destacou posteriormente no México. Deixou sua marca no Tijuana inicialmente, antes de liderar o América na conquista de duas edições da Concachampions. O sucesso pelas Águilas motivou o Boca Juniors a buscá-lo de volta. Aposta que já se pagou com taças.

Além de Benedetto, Sampaoli chamou outros três jogadores do futebol local para a Data Fifa: Javier Pinola (River Plate), Fabricio Bustos (Independiente) e Lautaro Acosta (Lanús) – este último, outro que recebe o devido reconhecimento, após anos jogando em alto nível com os grenás. O peso da responsabilidade em jogos tão decisivos pelas Eliminatórias da Copa ainda recaem sobre os ombros dos ‘europeus’, especialmente de Lionel Messi. De qualquer forma, Sampaoli já deixa claro os seus parâmetros e as possibilidades abertas nesta nova era da seleção.