Time da Colômbia (Foto: AP)

Quem é quem: Colômbia

GOLEIROS

1 – David Ospina

Goleiro, 25 anos, Nice-FRA

O legado deixado por Renê Higuita pode deixar outra impressão, mas o histórico da Colômbia em contar com goleiros seguros é amplo. Contou com Córdoba e Mondragón no passado, e Ospina segue nessa linha. Possui apenas 25 anos, mas já parece um veterano. Estourou cedo com o Atlético Nacional e acabou fisgado pelo Nice aos 19 anos, quando já fazia parte da seleção principal. Foi um dos pilares na ótima campanha nas Eliminatórias, embora tenha deixado os cafeteros apreensivos por uma lesão nos últimos meses.

12 – Camilo Vargas

Goleiro, 25 anos, Independiente Santa Fe

A convocação para a Copa do Mundo é um prêmio mais do que merecido para o ótimo goleiro, destaque no bom momento atravessado pelo Independiente Santa Fe. Dono de ótimos reflexos, foi fundamental nas campanhas domésticas e se sobressaiu também na Libertadores. Pelo momento, poderia ser até o reserva imediato de Ospina, mas não fez nenhuma partida pela seleção principal ainda.

22 – Faryd Mondragón

Goleiro, 42 anos, Deportivo Cali-COL

Um intervalo de 20 anos entre sua primeira e sua última Copa. A façanha de Mondragón nunca foi alcançada por nenhum outro jogador da história dos Mundiais e diz muito sobre um dos maiores goleiros da história da Colômbia. Dono de bom posicionamento e elasticidade, o arqueiro foi mudando seu estilo com o passar do tempo, mas sem perder a qualidade. Irá completar 43 anos durante a Copa e já prometeu se aposentar depois disso. É um dos principais líderes do elenco de Pekerman.

DEFENSORES

2 – Cristian Zapata

Defensor, 27 anos, Milan-ITA

Em uma defesa que conta com jogadores rodados, Zapata está até abaixo da média de idade. Sua vitalidade é o grande trunfo para tentar cavar um espaço entre os titulares, com boa altura e muita força física. O porte atlético, porém, não é tão determinante assim diante de alguns vacilos que costuma dar – e que podem custar seu lugar entre os titulares. Conta ainda com boa capacidade de antecipação, um dos traços que costuma demonstrar pelo Milan.

3 – Mario Yepes

Defensor, 38 anos, Atalanta-ITA

Yepes passou por todo o calvário da Colômbia durante os anos 2000. Nome ascendente naquela época, faz parte da seleção desde 1999 e, mesmo como um dos destaques, se frustrou em três campanhas nas Eliminatórias. A glória veio já como capitão, liderando o time rumo ao Mundial de 2014. Entretanto, sua fase deixa algumas reticências, especialmente pela falta de velocidade. De qualquer forma, sua experiência e sua técnica (especialmente no jogo aéreo) continuam sendo importantes, prestes a completar 100 partidas pela seleção e a igualar os mitos Valderrama e Álvarez.

4 – Santiago Arias

Defensor, 22 anos, PSV-HOL

Convocado para a seleção desde 2013 e com seis partidas pela equipe, Arias acabou conquistando espaço diante da ausência de Stefan Medina, nome tido como certo na lista final de José Pekerman. Com boa saída de bola e capacidade na marcação, é uma opção mais defensiva para a lateral direita.

7 – Pablo Armero

Defensor, 27 anos, West Ham-ING

Armero sempre foi tratado com muita galhofa no Brasil. As brincadeiras fizeram sua fama no Palmeiras, ainda que sua passagem pelo Palestra Itália tenha sido boa. Contudo, foi na Itália que seu futebol evoluiu verdadeiramente, passando por Udinese e Napoli. Isso também o ajudou muito na seleção, se tornando um dos protagonistas da equipe. Convocado desde 2008, reina absoluto na lateral esquerda, com vitalidade e velocidade impressionantes. Sua fase no West Ham não é tão boa, mas nada capaz de abalar seu moral com os cafeteros.

16 – Eder Balanta

Defensor, 21 anos, River Plate-ARG

Não é nesta Copa que Balanta deverá ser titular, apesar da grande qualidade. Porém, o zagueiro será nome certo nos cafeteros durante muito tempo. Aos 21 anos, o jovem demonstra uma maturidade incrível, principal revelação do River Plate nos últimos anos. É muito ágil, o que só contribui para a técnica que apresenta. Ganhou uma chance com Pekerman pela primeira vez em março e agradou tanto que acabou na lista de 23.

18 – Juan Zuñiga

Defensor, 28 anos, Napoli

Se há alguma dúvida sobre Zuñiga, é apenas pelos problemas físicos que enfrentou nos últimos meses. O lateral é uma das engrenagens mais importantes no sistema de Pekerman, dando vazão ao time pelo lado direito e se combinando muito bem com Juan Cuadrado. A rodagem no Napoli ajuda a assumir a bronca na Copa, assim como sua experiência na seleção é vasta, com nove anos e 52 jogos. Suas investidas em diagonal e sua explosão podem surpreender os desavisados, especialmente pela capacidade de driblar em velocidade.

23 – Carlos Valdes

Defensor, 29 anos, San Lorenzo-ARG

Mais um que vem do futebol argentino, Valdes é um nome de destaque em meio ao sucesso do San Lorenzo, campeão nacional em 2013 e semifinalista da Libertadores. O zagueiro é bom no jogo aéreo e nas antecipações, sendo uma opção viável para o miolo da defesa diante da ausência de Luis Amaranto Perea. Faz parte da seleção principal desde 2008.

MEIO-CAMPISTAS

5 – Carlos Carbonero

Meio-campista, 23 anos, River Plate-ARG

Carbonero foi o último a se integrar ao elenco da Colômbia, ganhando uma chance a partir do corte de Aldo Leão Ramírez. O meio-campista possui apenas uma partida pela seleção, convocado em 2011, mas possui talento para crescer. Foi um dos protagonistas na campanha do último título argentino do River Plate, além de ter passado por Once Caldas e Estudiantes. Joga em ritmo acelerado, bastante completo tanto na composição da marcação quanto nas subidas do ataque. Se ganhar confiança, pode ser uma grata surpresa na Copa.

6 – Carlos Sánchez

Meio-campista, 28 anos, Elche-ESP

Chamado à seleção principal desde 2007, Sánchez é um nome de confiança na cabeça de área colombiana, com 44 partidas pela seleção. Destaca-se pela capacidade de cobrir os espaços e não desgrudar de seus adversários, demonstrando solidez e agressividade. E também é um bom complemento ofensivo, com capacidade nas duas pernas. Já rodou por diferentes países, mas nos últimos meses se estabeleceu no Elche.

8 – Abel Aguilar

Meio-campista, 29 anos, Toulouse-FRA

Símbolo da entrega e da dedicação no meio-campo, o carregador de piano. Abel Aguilar é nome importante no elenco de José Pekerman, fazendo parte da seleção principal há 10 anos. Possui boa saída de bola e é uma arma extra no jogo aéreo, o que lhe garante ainda mais espaço no time. Sua rodagem pela Europa também ajuda pela experiência. Passou por Itália e Espanha antes de se estabelecer no Toulouse.

10 – James Rodríguez

Meio-campista, 22 anos, Monaco-FRA

Sem Falcao García, a pecha de craque da Colômbia passa a ser carregada por James Rodríguez. E, apesar da pouca idade, não é nenhum peso para o camisa 10. O meia estourou muito cedo, o que contribuiu para a sua rodagem, se destacando pelo Porto e se transformando em reforço milionário do Monaco. Dono de pés mágicos, combina tudo o que se espera de um armador clássico: tem velocidade, visão de jogo, boa finalização e habilidade para arrancar. A capacidade de jogar tanto pelos lados do campo quanto centralizado deve fazer José Pekerman armar o ataque conforme a sua função. Desde 2011, já são 22 partidas pela seleção.

11 – Juan Guillermo Cuadrado

Meio-campista, 26 anos, Fiorentina-ITA

O ponto de equilíbrio da seleção colombiana é Cuadrado. O meio-campista pode ser escalado em diferentes funções no setor. Sempre garante qualidade técnica e muita velocidade, importantes para a saída de jogo dos cafeteros. Sua grande fase pela seleção tem como maior exemplo o amistoso contra o Brasil em 2012, quando atordoou seus marcadores. Mais do que isso, fez uma temporada estupenda com a Fiorentina, o que lhe credencia ainda mais para fazer uma boa Copa do Mundo. Se o jogo estiver fechado, é o mais credenciado a abrir rombos nas defesas adversárias.

13 – Fredy Guarín

Meio-campista, 27 anos, Internazionale-ITA

O principal astro do meio-campo da Colômbia faz justificar as expectativas sobre seu nome. Guarín é imprescindível na composição da equipe titular de José Pekerman, com força na marcação, potência nas subidas ao ataque e precisão nos passes longos. Os arremates de longe são uma arma extra, assim como as aparições na área como elemento surpresa. Sua experiência na seleção vem desde as equipes sub-17 e sub-20, chegando à equipe principal aos 19 anos. Depois de boas passagens por Boca Juniors, Saint-Étienne e Porto, ganhou ainda mais repercussão na Internazionale – e quase foi parar na Juventus.

15 – Alexander Mejía

Meio-campista, 25 anos, Atlético Nacional

Mesmo com a fase dominante do Atlético Nacional no futebol colombiano, Mejía foi o único da equipe a ser convocado para o Mundial. Diz bastante sobre a qualidade do volante, um muro a ser montado à frente da defesa, com segurança nos passes e muita força física. Sua primeira partida pela Colômbia aconteceu em 2012, e foi titular em parte da trajetória até a Copa do Mundo. É importante também pela segurança.

20 – Juan Fernando Quintero

Meio-campista, 21 anos, Porto-POR

Há um ano, Juan Fernando Quintero impressionava no Mundial Sub-20. Os colombianos não foram tão longe na competição, mas a pequena mostra dada pelo meia já foi suficiente, camisa 10 clássico que sabe o que faz com a bola. Cavou sua transferência ao Porto, onde conquista seu espaço gradualmente. Na seleção principal, no entanto, o garoto já era conhecido desde 2012. Alguns o defendem até mesmo como titular, formando um trio de muita qualidade ao lado de James Rodríguez e Juan Cuadrado.

ATACANTES

9 –Teófilo Gutiérrez

Atacante, 29 anos, River Plate-ARG

A fama que Teófilo Gutiérrez constrói para si depõe contra sua própria carreira. O atacante acumula confusões em diversos clubes. Na seleção, no entanto, tem se mantido distante das polêmicas, o que é fundamental. O camisa 9 foi o parceiro ideal de Falcao García nas Eliminatórias, combinando poder de decisão e mobilidade. Sem o craque, a exigência sobre ele aumenta ainda mais. Para tranquilizar os colombianos, vem de bom momento com o River Plate, um dos destaques na campanha do título no Clausura.

14 – Victor Ibarbo

Atacante, 24 anos, Cagliari-ITA

Apesar do tamanho e da força física, Ibarbo também impressiona pela habilidade. Por isso mesmo não é um centroavante, costumando atuar como segundo atacante ou ponta. É uma opção interessante a Teófilo Gutiérrez, especialmente para renovar as energias da equipe no segundo tempo. Faz parte da seleção desde 2010 e, depois de um longo hiato, conquistou Pekerman de vez somente nos últimos meses. O destaque no Cagliari é uma boa mostra do que pode fazer com os cafeteros.

17 – Carlos Bacca

Atacante, 26 anos, Sevilla-ESP

A missão de Bacca está longe de ser simples. O atacante do Sevilla é o provável substituto de Falcao García. Não tem o poder de decisão de El Tigre, mas é um bom nome para o setor ofensivo dos cafeteros. A temporada maravilhosa com o Sevilla, um dos principais nomes na conquista da Liga Europa, demonstra bem o que é capaz de fazer. É oportunista e sabe sair da área, o que ajuda nas combinações com seus companheiros. A questão maior será sobre como irá se portar em um nível de pressão tão grande como é na Copa do Mundo.

19 – Adrián Ramos

Atacante, 28 anos, Hertha Berlim-ALE

Adrián Ramos não reforçará o Borussia Dortmund na próxima temporada à toa. A transferência é fruto do excelente desempenho com o Hertha Berlim, finalmente estourando depois de anos de oscilação no futebol alemão. Não é tão habilidoso quanto as outras opções do ataque, mas possui grande presença de área e faro de gol. Seus números pela seleção, no entanto, desapontam: são só dois gols em 26 partidas.

21 – Jackson Martínez

Atacante, 27 anos, Porto-POR

A badalação de Jackson Martínez no Porto não é a mesma na seleção. Ainda assim, o atacante tende a conquistar mais espaço, por tudo o que representa e também pelo que pode fazer. O camisa 21 é um artilheiro nato, mas também mais do que isso. Pode ser deslocado em diferentes posições do ataque, com porte físico e técnica suficiente para desequilibrar. É um dos que brigam para substituir Falcao García – o que, diga-se, já fez com sucesso no Porto. Pela seleção, são oito gols em 27 partidas.