France Netherlands Soccer

Quem é quem: Holanda

GOLEIROS

1-Jasper Cillessen

Goleiro, 25 anos, Ajax

Stekelenburg. Vermeer. Vorm. Krul. Todos eles passaram pelo gol da seleção holandesa, mas não viraram titulares, fosse por lesões ou má fase técnica. Então, a batata quente foi para o nativo de Groesbeek. Experimentado contra a Turquia, na última rodada das eliminatórias da Copa, agradou. Tornou-se titular do Ajax nesta temporada. E sua calma o firmou de vez no gol holandês. É pouco falado, mas vem crescendo e pode fazer ótima Copa.

22-Michel Vorm

Goleiro, 30 anos, Swansea-GAL

Vorm tinha todas as condições de ocupar o lugar que hoje é de Cillessen. É experiente, pois foi campeão europeu sub-21 em 2006 – e já esteve na Copa de 2010. Sua agilidade debaixo das traves compensa a altura baixa para um goleiro, e o tornam titular absoluto do Swansea, na Inglaterra. Porém, suas lesões abriram caminho para que Cillessen fosse o titular do gol da Holanda, e não ele. Mas sabe-se: se qualquer problema ocorrer com o camisa 1, Vorm é reserva mais do que recomendado.

23-Tim Krul

Goleiro, 26 anos, Newcastle-ING

O goleiro nascido em Haia é outro que poderia estar dentro de campo, sem prejuízo na qualidade. Começou impressionando ainda nos tempos de Bert van Marwijk, em 2011, quando foi titular em amistosos contra Brasil e Uruguai e teve ótimas atuações. Foi à Euro 2012, como terceiro goleiro, e parecia o futuro dos goleiros holandeses. Só que também sofreu com lesões, que atrapalharam o caminho no Newcastle. Nesta temporada, voltou a crescer. Bastou para ir à Copa. Espera-se que as lesões deixem de atrapalhá-lo.

DEFENSORES

2-Ron Vlaar

Defensor, 29 anos, Aston Villa-ING

Quando começou a carreira, no AZ, Vlaar era tido como o próximo grande zagueiro holandês. Uma atuação desastrosa num amistoso contra a Itália, em 2005, já diminuiu o alarido. Depois, duas sérias lesões, uma em cada joelho, atravancaram seu caminho. Recuperado, ele se impôs como líder no Feyenoord, foi à Euro 2012 pela seleção e transferiu-se para o Aston Villa. A ida à Copa coroa, afinal, uma carreira cheia de sobressaltos. O único problema: ainda é extremamente lento.

3-Stefan de Vrij

Defensor, 22 anos, Feyenoord

O zagueiro nascido em Ouderkerk aan den Ijssel tem uma seriedade notável para alguém de apenas 22 anos. Não é um zagueiro com habilidade de encher os olhos, mas marca os atacantes com lealdade e firmeza. De quebra, seu espírito de liderança o fez até ser capitão no Feyenoord, vez por outra. Com carreira sólida nas seleções de base, De Vrij ganhou a confiança de Van Gaal pela seriedade. Não à toa, chega como titular absoluto para a Copa. E deve ir para um centro maior da Europa após ela.

4-Bruno Martins Indi

Defensor, 22 anos, Feyenoord

Companheiro de De Vrij no miolo de zaga do Feyenoord desde as categorias de base, Martins Indi já é dado a mais ousadias do que o colega de geração: não raro, avança ao ataque e até faz gols (foram dois nas eliminatórias da Copa). De resto, além do porte físico respeitável, o holandês nascido em Portugal e criado em Roterdã desde os três meses de idade também pode ser improvisado na lateral esquerda – até joga assim no Feyenoord. Junto de De Vrij, nome certo na defesa.

5-Daley Blind

Defensor, 24 anos, Ajax

Onde jogará o filho de Danny Blind? Pergunta ainda sem resposta. Afinal, foi como volante que Daley começou a carreira. Mas foi escalado como lateral esquerdo no Ajax sob Frank de Boer, agradou e lá ficou. Porém, Van Gaal o prefere como volante. Só que também não está certo se colocará a lateral esquerda nos pés do jovem Kongolo… O que se sabe é que Blind não está na Oranje “só por ser filho do auxiliar”. Vive a melhor fase da carreira e foi eleito o melhor jogador do último Campeonato Holandês.

7-Daryl Janmaat

Defensor, 24 anos, Feyenoord

Num país cujo estilo de futebol é francamente ofensivo, nada mais normal que laterais acabem dando dores de cabeça pela falta de vocação defensiva. Foi aí que Daryl Janmaat virou titular absoluto na Oranje: por ser um lateral confiável defensivamente. Assim, aos poucos superou Ricardo van Rhijn, que era titular sob Van Gaal. Se beneficiou da irregularidade de Van der Wiel. E ele chega à sua primeira Copa seguro na lateral, com perspectivas de se transferir para um centro maior do futebol europeu.

12-Paul Verhaegh

Defensor, 30 anos, Augsburg-ALE

Talvez Verhaegh seja o mais desconhecido dos 23 jogadores convocados por Louis van Gaal. Mas isso esconde uma caminhada até admirável rumo à convocação para a Copa. Verhaegh nunca foi um jogador famoso nem dentro da Holanda: começou no PSV, mas não jogou partidas oficiais pelo clube, e fez carreira em clubes pequenos, até chegar ao Vitesse, não muito maior. Dali foi para o Augsburg, sempre como um lateral direito obscuro. Até que a posição na seleção começou a precisar de gente mais confiável defensivamente, com a queda de produção de Van der Wiel. Verhaegh foi chamado como uma experiência, para um amistoso contra Portugal. Esforçou-se, chamou a atenção de Van Gaal, continuou batalhando… e chegou à Copa, com apenas duas partidas pela seleção. Não deixa de ser um prêmio para uma carreira dura.

13-Joël Veltman

Defensor, 22 anos, Ajax

Veltman ganhou a titularidade no Ajax ao longo da última temporada. Não demorou muito para também ser testado por Van Gaal, a partir do amistoso contra a Colômbia, no ano passado. O problema é que ele simboliza o principal pecado dos defensores holandeses: a ingenuidade. Por várias vezes Veltman colocou resultados a perigo, com recuos mal feitos, erros na saída de bola, falta de atenção contra atacantes… mas foi convocado. Talvez não seja titular, mas também não é caso perdido. Tem habilidade, e pode usar este Mundial como motivação para se aprimorar.

14-Terence Kongolo

Defensor, 20 anos, Feyenoord

Novamente, um lateral esquerdo é a grande aposta da seleção holandesa numa convocação para um grande torneio. Na Euro 2012, Jetro Willems foi a novidade; agora, é Kongolo, campeão europeu sub-17 em 2011. Mas as semelhanças acabam aí: até por ser zagueiro de origem (no Feyenoord, Miquel Nelom fica mais na lateral esquerda), o jovem é uma certa tentativa de dar à lateral esquerda a segurança defensiva que a direita já tem. E também de oferecer uma opção a Blind. É válido.

MEIO-CAMPISTAS

6-Nigel de Jong

Meio-campista, 29 anos, Milan-ITA

Certamente a imagem da solada no peito de Xabi Alonso, durante a final da última Copa do Mundo, será lembrada sempre que se falar em Nigel de Jong. E ela é quase sempre seguida da pecha “jogador violento”. Bem, pegada forte na marcação, De Jong sempre teve. Mas é justo reconhecer que logo após a Copa (e outra infeliz entrada, que causou lesão em Ben Arfa, num Manchester City x Newcastle), De Jong pôs a cabeça no lugar. Parou de exagerar, e sua passagem pelo Milan até tem sido razoável. Mesmo que já não seja mais indispensável, pode até ser titular em sua segunda Copa.

8-Jonathan de Guzman

Meio-campista, 26 anos, Swansea-GAL

Este holandês nascido em Toronto, no Canadá, que vive na Holanda desde os 12 anos de idade, tem a duríssima missão de fazer o papel que caberia a Kevin Strootman: dar qualidade na saída de bola para a armação das jogadas. Pelo que mostrou até agora no Swansea, De Guzman tem condições de fazer um bom papel. Se se recuperar de lesão sofrida nos últimos treinos antes da viagem ao Brasil, está muito bem cotado para ser titular no meio-campo, junto de De Jong e Sneijder.

10-Wesley Sneijder

Meio-campista, 30 anos, Galatasaray-TUR

Aquele que foi, para muitos, o melhor jogador da Copa de 2010 já não tem mais a mesma forma exibida na África do Sul. Sneijder caiu de produção na Internazionale, deixou o clube, mas ainda não explodiu no Galatasaray. Chegou até a ser criticado por suposta indolência com a forma física. Mas sua técnica e rapidez no meio-campo o tornam um daqueles jogadores de quem sempre se espera alguma coisa. E o corte de Van der Vaart praticamente força sua escalação. E a forma física até melhorou, com direitos a elogios públicos de Van Gaal.

16-Jordy Clasie

Meio-campista, 22 anos, Feyenoord

Se o Feyenoord voltou a exercer um papel competitivo no futebol holandês, com boas campanhas no campeonato do país, um dos grandes responsáveis dentro de campo é o meio-campista de 1,69, nascido em Haarlem. Afinal, Clasie mostra grande capacidade de pegar a bola na parte defensiva do meio-campo e levá-la para armar as jogadas ofensivas. De quebra, ainda tem ótimo passe. A Copa é mais um passo à frente na carreira de Jordy, já apontado como o sucessor de Sneijder na Oranje.

18-Leroy Fer

Meio-campista, 24 anos, Norwich City-ING

Fer é apontado como revelação desde os tempos de Feyenoord, clube em que surgiu: tinha a qualidade de ser um volante que marcava bem, e saía ainda melhor para o jogo. Porém, curiosamente, não teve muitas chances na seleção holandesa na passagem de Louis van Gaal, por mais que houvesse mantido o nível satisfatório nas passagens por Twente e Norwich City. Mas a necessidade de ter gente de mais marcação no meio-campo (sem esquecer o bom toque de bola) recuperou o nome de Fer.

20-Georginio Wijnaldum

Meio-campista, 23 anos, PSV

A Copa do Mundo pode representar um ponto de virada na carreira de “Gini”. Há pelo menos seis anos, quando apareceu no Feyenoord, o armador é tido como um dos grandes talentos técnicos de sua geração. Mas nunca conseguiu corresponder completamente às expectativas depositadas sobre ele. Fosse por um mau momento do clube, como o que o Feyenoord vivia. Fosse por lesões, como agora, no PSV. Só recentemente foi lembrado por Van Gaal. E tem na Copa boa chance de tomar impulso para deixar a ameaça de “foguete molhado” para trás.

ATACANTES
9-Robin van Persie

Atacante, 30 anos, Manchester United-ING

Só o fato de ser o maior goleador da história da seleção holandesa já credenciaria Van Persie a ser titular absoluto da Oranje. Mas antiguidade não é posto, pelo menos no futebol. Pois bem: o atacante vive possivelmente um dos melhores momentos da carreira. Embora não tenha salvo a temporada apagada do Manchester United, Van Persie revela-se calmo e habilidoso dentro da área, com senso de finalização muito apurado. O que é auspicioso para quem ainda tem o que mostrar numa Copa, após as atuações decepcionantes em 2010. De quebra, junto de Robben, pode se tornar o primeiro jogador holandês a marcar gols em três Copas seguidas. É, sem dúvida, a maior esperança da Holanda.

11-Arjen Robben

Atacante, 30 anos, Bayern Munique-ALE

O terceiro do “trio intocável” da Oranje viveu uma roda-viva nestes últimos quatro anos. Ela já começou na Copa de 2010: a lesão que quase o tirou dela, o destaque na campanha, o gol feito perdido na final… Em 2012, o pior momento da carreira: perdeu pênalti na final da Liga dos Campeões, fez Euro apagada e viu o estigma de “amarelão” crescer. Em 2013, a “vingança maligna”: fez o gol do título europeu dos bávaros. E ele iniciou nova ascensão na carreira. A frequência das lesões diminuiu, Robben voltou a ser protagonista no Bayern e continuou inquestionável na seleção holandesa. Assim ele chega à sua terceira Copa do Mundo.

15-Dirk Kuyt

Atacante, 33 anos, Fenerbahçe-TUR

Sabe-se que Kuyt nunca foi lá um primor de técnica como atacante. Mas seu desprendimento costumeiro, não só no ataque, mas como primeiro jogador a marcar a saída de bola adversária, o tornou querido de várias torcidas, como Feyenoord e Liverpool. E também o fez um jogador respeitado pelos técnicos. Razoável no Fenerbahçe, mesmo que a forma física e o esquema tático não lhe deem muitas chances de ser titular, Kuyt ainda tem utilidade em sua terceira Copa.

17-Jeremain Lens

Atacante, 26 anos, Dynamo Kiev-UCR

Indiretamente, a lesão no joelho que afastou Kevin Strootman da Copa do Mundo também atingiu Lens. Num esquema com três atacantes, Lens foi titular absoluto na campanha das eliminatórias da Copa, mostrando rapidez pela esquerda. Porém, sem Strootman, houve a necessidade de fortalecer a marcação no meio-campo. Sobrou para o jogador surgido na base do AZ, e que despontou no PSV: mesmo que tenha conseguido, enfim, um lugar num grande torneio, deverá ficar na reserva.

19-Klaas-Jan Huntelaar

Atacante, 30 anos, Schalke 04-ALE

O nativo de Drempt é um caso curioso: nunca foi titular absoluto da seleção, mas demonstra faro de gol a ponto de ser o sexto maior goleador da história da Laranja. Porém, Huntelaar chega para sua segunda Copa de modo mais discreto. Embora siga sendo o principal destaque do Schalke 04, já não é mais o homem-gol da Euro 2012, quando sua permanência no banco de reservas causou forte surpresa. E a boa fase de Robin van Persie diminui o alarido sobre ele. Mas Huntelaar está lá. Se necessário…

21-Memphis Depay

Atacante, 20 anos, PSV

No meio de uma temporada turbulenta, o PSV viu neste filho de ganense com holandesa um dos únicos motivos de esperança. Aliás, Depay foi um dos grandes responsáveis pela reação do time de Eindhoven, que ainda beliscou vaga na Liga Europa: afinal de contas, foi um dos goleadores da equipe na temporada, com 11 gols. E demonstrou personalidade nas poucas vezes que entrou na Oranje adulta. Superou Promes e Boëtius para ser convocado, e tem certo cacife para ser revelação.