No Brasil, as divisões de acesso não param durante a Copa do Mundo. A Série B continua em sua alta rotação, a Série C entra na reta final da fase de classificação e a Série D definirá até mesmo os acessos enquanto a bola rola na Rússia. E não é uma exclusividade brasileira esta peculiaridade no calendário. Afinal, o sábado foi de festa na Europa. Espanha e Itália definiram os playoffs de acesso à primeira divisão. Enquanto o tradicional Real Valladolid celebra o seu retorno a La Liga após quatro anos de ausência, o Frosinone se refaz os seus traumas recentes para a segunda participação na Serie A.

O Valladolid não era exatamente o favorito na segundona espanhola. Os blanquivioletas passaram a maior parte da campanha fora da zona dos playoffs, crescendo no final e se firmando nas três rodadas finais. E mesmo decidindo as semifinais fora de casa contra o Sporting de Gijón, os pucelanos não tomaram conhecimento de seus adversários, que chegaram até mesmo a ocupar a zona de acesso direto certos momentos da temporada. Duas vitórias sobre os rojiblancos valeram a vaga na final. Pegariam o Numancia, outro que surpreendeu na etapa anterior dos mata-matas, ao eliminar o favorito Zaragoza.

O acesso do Valladolid se encaminhou já no jogo de ida. Mesmo enfrentando o Numancia fora de casa, no Estádio Los Pajaritos, os blanquivioletas venceram por 3 a 0. Kiko Olivas, Pablo Hervías e Óscar Plano anotaram os gols. Assim, a comemoração aconteceu neste sábado, diante de 24,6 mil torcedores no Estádio José Zorrilla. O Numancia até abriu o placar no final, mas Jaime Mata anotou o gol que sacramentou o empate por 1 a 1 e a promoção aos 48 do segundo tempo. Comemoração garantida à equipe do técnico Sergio, ex-meio-campista de longa passagem pelo Deportivo de La Coruña e que defendeu a seleção espanhola na Copa do Mundo de 2002. Anteriormente, Huesca e Rayo Vallecano haviam subido.

Participante da primeira divisão espanhola desde o final dos anos 1940, o Valladolid viveu o seu período mais consistente na elite entre as décadas de 1980 e 1990, quando teve apenas uma breve passagem pela segundona. Desde 2004, entretanto, os pucelanos se acostumaram com a gangorra entre as duas primeiras divisões do Espanhol. Caíram pela última vez em 2014 e vinham de duas campanhas modestas, até que a sorte mudasse na atual temporada. Uma conquista ainda mais respeitável quando se consideram as dificuldades financeiras sofridas nos últimos anos, com o clube inclusive iniciando um processo falimentar, o qual deixaram em 2014.

O Frosinone, por sua vez, cumpriu as expectativas na Serie B do Campeonato Italiano. Em uma disputa na qual diferentes clubes se alternaram na zona de acesso direto, os Canarini eram favoritos a subir ao longo do segundo turno. Entretanto, dependendo apenas de si na última rodada, o time fracassou. Empatou em casa com o Foggia, em partida emocionante, e permitiu que o Parma tomasse a segunda colocação. Como já tinha acontecido antes, os gialloazzurri se frustraram na reta final e foram obrigados a disputar os playoffs de acesso. Primeiro, passaram pela Cittadella, com dois empates, graças à melhor campanha. Já na decisão, o Palermo, que também permaneceu na zona de acesso em parte da campanha na Serie B, mas acabou perdendo fôlego no segundo turno.

Na primeira partida, os rosaneri comemoraram na Sicília. De virada, o Palermo venceu por 2 a 1, o que aumentava a pressão para o reencontro no Estádio Benito Estirpe. Em um jogo tenso, o Frosinone abriu o placar no início do segundo tempo. Raffaele Maiello arriscou de fora da área e botou os Canarini em vantagem. Pela classificação superior na temporada regular, o placar já era suficiente para o acesso. Já a meia hora final foi cheia de confusões. O árbitro chegou a marcar uma falta para os sicilianos, que depois de muita discussão virou um pênalti, antes que ele voltasse atrás e marcasse a falta de vez. Os jogadores de ambas as equipes se estranharam. E os reservas dos gialloazzurri chegaram mesmo a atirar bolas em campo para gastar o tempo. Nos acréscimos, por fim, Camillo Ciano aproveitou um contra-ataque e ratificou o acesso dos anfitriões, com a vitória por 2 a 0.

O Frosinone foi fundado em 1912, mas passou a maior parte de sua história entre a terceira e a quarta divisão. Chegou à Serie B apenas em 2006 e teve uma efêmera passagem pela Serie A, em 2015/16, quando estreou e logo caiu. Na temporada passada, a equipe deixou o acesso escapar na reta final da temporada regular, ante o Benevento, e caiu logo nas semifinais dos playoffs. Mudou a história nesta temporada, apesar da frustração que a competição com o Parma acabou deixando. Juntam-se, além dos gialloblù, ao Empoli rumo à elite.

Outro time a subir na Itália durante o sábado foi o Cosenza, promovido da Serie C para a Serie B. O clube da Calábria terminou na quinta colocação de seu grupo regional na fase de classificação, 20 pontos abaixo da zona de acesso direto. No entanto, foi para os playoffs e sobreviveu à disputa contra outras 26 equipes. Superou Sicula Leonzio e Casertana na fase regional. Já na etapa nacional, eliminou Trapani, Sambenedettese e Südtirol, até a decisão contra o Robur Siena (refundação do antigo Siena) em jogo único disputado em Pescara. Então, os rossoblù comemoraram a vitória por 3 a 1. Sem nunca ter figurado na Serie A, a equipe volta à segundona após 15 anos de ausência. Padova, Livorno e Lecce haviam subido anteriormente na Serie C.