Vertonghen Bélgica Coreia do Sul 169

Coreia do Sul 0×1 Bélgica: Diabos Vermelhos ainda não convencem

A crônica

A Bélgica foi tão antecipada como surpresa para a Copa do Mundo que chegou para a competição com muito holofote sobre si. Todo o mundo acompanhou a temporada que, individualmente, os ótimos jogadores fizeram, sobretudo na Inglaterra. No entanto, transformar isso em um conjunto forte e coeso não é fácil, e mais uma atuação fraca dos Diabos Vermelhos no Mundial reiterou isso. A seleção belga venceu a Coreia do Sul por 1 a 0, com gol de Vertonghen perto do fim do jogo, só que, mais uma vez, não convenceu. Estava com um time misto, é verdade, mas diante da fragilidade do adversário o futebol ficou bastante aquém do potencial que tem.

No início do jogo, a Coreia do Sul chegava ao ataque mais que a Bélgica. As duas equipes não demoravam muito tempo com a bola no pé, procuravam definir as jogadas rapidamente, mas isso não significava efetividade lá na frente. A primeira grande chance da partida, no entanto, foi dos belgas. Aos 24 minutos da etapa inicial, uma cobrança de lateral direta para a área foi desviada pelo “gigante” Fellaini, e um bate-rebate deixou a bola nos pés de Dries Mertens, de frente para o gol, sozinho. O jogador do Napoli conseguiu então a proeza de isolar a redonda por cima do gol defendido por Kim Seung-Gyu.

Cinco minutos depois da oportunidade de ouro de Mertens, os sul-coreanos assustaram Thibaut Courtois. Em um ataque rápido pelo meio, Ki Sung-Yueng finalizou com força, fazendo o belga executar uma boa defesa, mandando a bola para escanteio. Na cobrança da bola parada, o zagueiro Nicolas Lombaerts quase marcou contra, mas um companheiro de equipe apareceu quase na linha do gol para isolar para frente.

No final do primeiro tempo, a Bélgica sofreu uma baixa que poderia ter significado grande complicação para o restante do jogo. Steven Defour chegou forte em dividida com Kim Shin-Wook, solando o sul-coreano, e foi corretamente expulso pelo árbitro australiano Benjamin Williams.

Apesar da superioridade numérica, a Coreia do Sul não transformou isso imediatamente em pressão. Na verdade, a primeira finalização um pouco mais perigosa do segundo tempo foi da Bélgica, com Mertens acertando um chute forte da intermediária, forçando Seung-Gyu a espalmar para o lado. Marc Wilmots então promoveu duas mudanças no setor ofensivo, mostrando que, apesar de ter dez em campo, não pretendia se limitar à defesa. Januzaj, que fez sua primeira partida como titular da seleção, e Mertens deixaram o campo, para a entrada de Chadli e Origi, o garoto que entrou bem no decorrer dos jogos em que Lukaku foi titular.

A Bélgica melhorou um pouco com as mudanças, especialmente pela ótima movimentação de Origi. Logo o gol da vitória apareceu, porém, mais por falha sul-coreana que por algum acerto belga. Aos 32 minutos do segundo tempo, Lee Keun-Ho foi sair jogando e errou o passe, entregando no pé de Vertonghen. O lateral tocou para Origi, que arriscou um chute forte, de fora da área. O goleiro espalmou a bola para a frente, e o próprio Vertonghen, que havia iniciado a jogada, chegou para empurrar a bola para a rede.

Dois minutos após o tento da Bélgica, a Coreia do Sul tentou responder com o próprio Keun-Ho, que tentou compensar pelo erro que havia cometido na zaga. Lançado na área, o jogador tentou encobrir Courtois, mas errou na força e não levou perigo.

Aos 43 minutos, com pouquíssimo tempo restante para fazer alguma diferença, Eden Hazard entrou no lugar de Kevin Mirallas. E não é que o jogador do Chelsea é um cara de reta final de partidas mesmo? Depois de decidir para os Diabos Vermelhos nos últimos minutos do jogo contra a Rússia na segunda rodada, Hazard quase marcou um belo gol nesta quinta na Arena Corinthians. Apenas um minuto depois de entrar, fez boa jogada dentro da área e, sem ângulo, bateu forte, e o goleiro Seung-Gyu espalmou bem para o lado.

Keun-Ho mais uma vez tentou igualar o marcador para a Coreia do Sul, completando um cruzamento com um toque de letra, mas Courtois caiu para fazer boa defesa e segurar a terceira vitória em três jogos da Bélgica na fase de grupos.

Com uma campanha de 100% de aproveitamento, mas de pouco futebol apresentado, a seleção belga avançou às oitavas de final e enfrentará agora os Estados Unidos. Os norte-americanos fizeram uma campanha interessante no Grupo G, ficando com o segundo lugar e deixando Portugal de fora. Pelo futebol apresentado pelas duas equipes até agora na Copa, os comandados de Klinsmann parece estarem mais preparados para o confronto, mas um time de talentos individuais tão bons como a Bélgica pode sempre encontrar um gol ou outro, exatamente como fez em todas suas partidas no torneio até agora.

FICHA TÉCNICA

Coreia do Sul 0×0 Bélgica

Coreia do Sul

Coreia do Sul EscudoKim Seung-Gyu; Lee Yong, Hong Jeong-Ho, Kim Young-Gwon e Yun Suk-Young; Han Kook-Young (Lee Keun-Ho, intervalo), Ki Sung-Yueng, Lee Chung-Yong, Koo Ja-Cheol e Son Heung-Min (Ji Dong-Won, 26′/2T); Kim Shin-Wook (Kim Bo-Kyung, 21′/2T). Técnico: Hong Myung-Bo.

Bélgica

Bélgica EscudoThibaut Courtois; Anthony Vanden Borre, Daniel van Buyten, Nicolas Lombaerts e Jan Vertonghen; Marouane Fellaini, Steven Defour e Mousa Dembélé; Adnan Januzaj (Nacer Chadli, 15′/2T), Kevin Mirallas (Eden Hazard, 43′/2T) e Dries Mertens (Divock Origi, 15′/2T). Técnico: Joachim Löw.

Local: Arena Corinthians, em São Paulo

Árbitro: Benjamin Williams (AUS)

Gols: Vertonghen, 32′/2T

Cartões amarelos: Jeong-Ho e Dembélé

Cartões vermelhos: Defour

O cara

Thibaut Courtois

Em um jogo em que ninguém brilhou, o cara é Thibaut Courtois, que, embora não tenha sido brilhante, tem mérito na vitória por segurar a Coreia do Sul nos momentos em que a Bélgica foi atacada. Para um time como o belga, que nessa Copa tem sido muito pouco efetivo no ataque, é importante ter alguém lá atrás segurando as pontas. Courtois fez, ao todo, sete defesas no jogo.

Os gols

32’/2T: GOL DA BÉLGICA!

Divock Origi bate forte de fora da área, o goleiro Seung-Gyu dá rebote, e Vertonghen chega empurrando a bola para o gol.

A Tática

Escalações iniciais de Coreia do Sul e Bélgica

Escalações iniciais de Coreia do Sul e Bélgica

No esquema 4-3-3, a Bélgica tinha Defour como o meio-campista mais recuado, enquanto Fellaini e Dembélé tinha maior liberdade para ir ao ataque. Os pontas jogavam relativamente fixos em seus flancos, e Mirallas, teoricamente o “centroavante”, se movimentava bastante, fazendo um papel parecido ao do “falso 9″. Na Coreia do Sul, Heung-Min, como jogador de maior qualidade, é o que tinha mais autonomia no setor ofensivo e não se restringia tanto à ponta esquerda. De resto, no 4-2-3-1, todos seguiam mais ou menos suas posições originais.

A Estatística

6

Os últimos seis gols da Bélgica em Copas do Mundo foram marcados nos 20 minutos finais de suas partidas.


Confira as melhores imagens e os principais lances dos dois jogos que complementam o Grupo H e fecham a fase de grupos da Copa: Bélgica x Coreia do Sul, em São Paulo, e Argélia x Rússia, em Curitiba