Desde que o Cardeal Jorge Mario Bergoglio se tornou em Papa Francisco, uma transformação é vivida em Boedo. Mais precisamente no Nuevo Gasómetro, casa do San Lorenzo. Os cuervos, acostumados a serem chacotas entre os grandes clubes argentinos, se tornaram uma potência. Voltaram a se glorificar, com o título do Torneio Inicial, e conquistaram um milagre enorme na classificação aos mata-matas da Libertadores. Você pode ser ateu, evangélico, umbandista, budista, muçulmano ou fiel de qualquer outra religião. Ainda assim, é difícil não imaginar que a mudança de poder na Igreja Católica fez com que um pedacinho do céu se abrisse em Boedo.

>>> Faltou sanidade na miraculosa classificação do San Lorenzo na Libertadores
>>> O Galo precisará se transformar para evitar o seu velório no Horto

Papa Francisco talvez nem tenha assistido à vitória do San Lorenzo sobre o Grêmio nesta quarta-feira, que deixa os argentinos um pouco mais próximos da etapa seguinte – e da taça que tanto falta em seu museu. Um jogo muito amarrado entre as duas equipes, especialmente durante o primeiro tempo. Maldito foi Barcos, que isolou uma cobrança de falta da linha da pequena área (fruto de um recuo de bola para o goleiro Torrico) e desperdiçou a grande chance dos gremistas. E bendito estava Ángel Correa, o garoto que se encarregou de garantir o triunfo por 1 a 0 dos cuervos – em um chute no qual alguma força sobrenatural pareceu tirar Marcelo Grohe de sua trajetória, tão estranha foi a ação do goleiro.

Correa é abençoado não apenas pelo lance que definiu a partida. O nome Ángel já poderia ser mais um indicativo da influência divina sobre o San Lorenzo. Mas o fato é que o meia-atacante possui uma ligação maior com o Papa do que a mera torcida do Pontífice. Quando era apenas um garoto, Correa foi crismado por Bergoglio, então arcebispo de Buenos Aires (veja a foto abaixo). Não dá para dizer que isso foi determinante para vingar no Nuevo Gasómetro, longe disso. No entanto, é fato que o prodígio ungido pelo Papa é uma das maiores esperanças dos cuervos. Sobretudo, por jogar muita bola, algo que o clube percebeu desde que o trouxe quando tinha 12 anos.

correa bergoglio

Aos 19 anos, Correa é nome frequente na equipe principal do San Lorenzo desde os primeiros meses de 2013, somando 11 gols e 12 assistências em 50 jogos pelos cuervos desde então – 45 deles como titular. Podendo jogar tanto como meia quanto como atacante, o garoto demonstra maturidade suficiente para assumir papeis principais no time, às vezes substituindo medalhões como Leandro Romagnoli e Ignacio Piatti. Quase sempre mantendo o nível, driblador e ótimo para criar espaços na defesa adversária. Une a explosiva combinação de rapidez de raciocínio e habilidade. Por isso mesmo, Manchester City e Atlético de Madrid já estariam de olho na promessa, comparado por alguns com Sergio Agüero, ídolo de ambas as torcidas europeias.

Não é o gol de Correa que garante a classificação do San Lorenzo. O duelo com o Grêmio segue bastante aberto, ainda que um gol dos argentinos em Porto Alegre lhes dê a vantagem do empate, assim como da derrota por um tento de diferença. Os tricolores terão que fazer valer a solidez defensiva que apareceu durante a maior parte dos jogos da Libertadores até aqui. E, por precaução, ter um cuidado especial com o camisa 11 dos cuervos e seus pés abençoados.

Abaixo, um vídeo com os dribles de Correa. As apostas nele se justificam por esses lances: