Gervinho e Drogba comemoram o gol da Costa do Marfim (AP Photo/Hassan Ammar)

Costa do Marfim 2×1 Japão: Mística de Drogba e precisão de Aurier salvam

A CRÔNICA

Alguns jogos são definidos por uma questão mística, que vai além da técnica. Mas dificilmente é definido só pela mística. Japão e Costa do Marfim fecharam o sábado de Copa do Mundo com um jogo com reviravolta. Os asiáticos saíram na frente, mas viram os africanos virarem o jogo em uma rajada pela direita, logo depois da entrada de um jogador lendário para os Elefantes: Didier Drogba. Nã que ele tenha feio toda a diferença, mas ajudou na construção da virada por 2 a 1 com a sua presença, sua liderança e, claro, sua qualidade técnica.

O início do jogo teve uma Costa do Marfim, até melhor em campo, mas que não ameaçava. O Japão, ao contrário, era perigoso em seus ataques. E em um deles saiu o primeiro gol, de Honda. Mais técnico que o time marfinense, o Japão chegava ao ataque com trocas de passes, mas não finalizava. A Costa do Marfim, aos poucos, tentou pressionar.E foi aumentando o ritmo, até chegar a uma pressão com muitas bolas na área, perigosas, que chegaram a acertar a trave. Parecia daqueles dias que tudo dá errado mesmo…

Isso até que o técnico Sabri Lamouche resolveu chamar Drogba ao jogo. O atacante, a grande estrela da Costa do Marfim, começou o jogo no banco. E sua entrada incendiou o jogo. No seu primeiro lance, já um passe de calcanhar que levou perigo. Logo depois, saiu o gol de empate e, pouco depois, a virada. Tecnicamente, quem brilhou foi o lateral Auerier, que levantou as duas bolas para os gols.

Mas a mística da entrada de Drogba deu confiança ao time. E, depois da virada, Drogba foi um dos que administrou a vitória. Segurou a bola, fez cera, deu tranquilidade para o time manter a vitória. Uma vitória importante para um time que tanto sonha em chegar ao mata-mata pela primeira vez em sua história. Ao Japão, resta  tentar vencer a Grécia e ir para o seja o que Deus quiser contra a Colômbia.

FICHA TÉCNICA

COSTA DO MARFIM 2X1 JAPÃO

COSTA DO MARFIM

Boubacar Barry; Serge Aurier, Didier Zokora, Souleymane Bamba e Arthur Boka (Constant Djakpa, 30’/2T); Cheick Tioté e Serey Die (Didier Drogba, 17’/2T); Salomon Kalou, Yayá Touré e Gervinho; Wilfried Bony (Ya Konan, 32’/2T). Técnico: Sabri Lamouche

JAPÃO

Eiji Kawashima; Atsuto Uchida, Masato Morishige, Maya Yoshida e Yuto Nagatomo; Hotaru Yamaguchi e Makoto Hasebe (Yoshito Endo, 9′/2T); Shinji Okazaki, Keisuke Honda e Shinji Kagawa (Yoshito Kakitani, 41′/2T); Yuya Osako (Yoshito Okubo, 22’/2T). Técnico: Alberto Zaccheroni

Estádio: Arena Pernambuco, em Recife
Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Gols: Honda, 16’/1T, Bony, 19’/2T, Gervinho, 21’/2T
Cartões amarelos: Yoshida, Bamba, Zokora, Morishige
Cartões vermelhos: nenhum

OS GOLS

16’/1T: GOL DO JAPÃO!
Pela esquerda, o Japão trabalhou a bola e procurou por Honda. O meia dominou com o pé direito, já ajeitando o corpo, e soltou uma bomba de canhota. Golaço.

19’/2T: GOL DA COSTA DO MARFIM!
Cruzamento do lateral Aurier na cabeça de Bony, que desviou para marcar o gol de empate.

21’/2T: GOL DA COSTA DO MARFIM!
De novo, Aurier foi decisivo. Cruzamento do lateral, desta vez para Gervinho, que desviou para o gol.

O CARA

Aurier acabou sendo decisivo. O lateral direito foi o responsável pelos dois cruzamentos que resultaram em gols da Costa do Marfim. Em ambos, os jogadores que finalizaram estava em boa posição e mal tiveram que mexer a cabeça para tocar para a rede. É um jogador que merece toda a atenção. O jogador de 21 anos do Toulouse merece toda a atenção pela sua qualidade.

A TÁTICA

Costa do Marfim x Japão

A ESTATÍSTICA

21

Número de chutes a gol dados pela Costa do Marfim na partida. Foi muito ineficiente, porém, porque só cinco deles acertaram o alvo, nove foram para fora e sete foram bloqueados. De qualquer forma, mostra como a Costa do Marfim buscou o gol até empatar e virar.