Depois de toda a novela que se estendeu durante a janela de transferências, o retorno de Philippe Coutinho à boa forma no Liverpool se tornou uma grande interrogação. Talento não falta ao camisa 10, mas qual seria a sua motivação ao permanecer contra a sua vontade em Anfield? Aos poucos, ele foi reinserido ao time. E, neste sábado, contra o Leicester, fez uma partida que resgatou o seu melhor com a camisa vermelha. Que, por ora, fez os torcedores dos Reds esquecerem um pouco das mágoas para comemorar os lances magistrais. Com uma atuação deslumbrante do brasileiro, os visitantes conquistaram a importante vitória por 3 a 2 no Estádio King Power, em jogo eletrizante.

Este era o segundo confronto entre os dois times na semana. O Leicester se deu melhor na Copa da Liga Inglesa, mas em partida recheada de reservas. Neste sábado, os dois treinadores mandavam a campo os seus titulares. E a superioridade do Liverpool se provou logo nos primeiros minutos. Depois de uma bola na trave de Emre Can e de uma chance desperdiçada no rebote por Mohammed Salah, o egípcio se redimiu pouco depois, abrindo o placar aos 15 minutos. Cruzamento perfeito de Coutinho, em bola cheia de curva na cabeça do companheiro, que arrematou para as redes de Kasper Schmeichel.

Dono do jogo, o Liverpool ampliou aos 23. Mais uma vez, Coutinho ressaltou a sua categoria. Cobrança de falta espetacular, em chute com efeito que morreu no canto do Schmeichel. Os Reds tinham boa vantagem para seguir no controle do jogo fora de casa. O problema é que os visitantes diminuíram demais o ritmo, sem demonstrar o ímpeto necessário que pudesse resolver a partida. E o Leicester acabou achando um gol vital pouco antes da saída para o intervalo, nos acréscimos do primeiro tempo. Em lance confuso após cobrança de escanteio, no qual os alvirrubros reclamaram bastante, Shinji Okazaki emendou para dentro.

O Liverpool acordou no segundo tempo e a entrada de Daniel Sturridge, no lugar de Roberto Firmino, ajudou o time a ampliar a diferença. Em contra-ataque fulminante, o substituto passou a bola para Jordan Henderson marcar, aos 23. Só que, outra vez, os Reds sofreram um apagão. Por muito pouco isso não custou os três pontos. Jamie Vardy aproveitou um rebote para descontar logo na sequência. E aos 26, as Raposas tiveram um pênalti a seu favor, após saída desastrada de Mignolet. O goleiro ao menos limpou sua barra, esperando a bomba de Vardy no meio do gol e espalmando para frente. Depois de tamanha correria, o Liverpool conseguiu acalmar os ânimos e, apesar de um ou outro susto, segurou a vitória, até mais próximo de ampliar.

O triunfo no Estádio King Power encerra uma série de quatro partidas do Liverpool sem vencer, incluindo dois tropeços pela Premier League. A equipe chega aos 11 pontos, cinco a menos que a dupla de Manchester, e assume provisoriamente a quinta colocação. A melhor notícia, de qualquer forma, fica para o retorno de Philippe Coutinho – não de fato, mas em espírito. O camisa 10 pode não ser tão imprescindível quanto se pintou em alguns momentos da janela de transferências. Ainda assim, continua com potencial imenso para decidir partidas e ser um dos protagonistas dos Reds, como fez tão bem neste sábado. É o que os torcedores mais querem.