por Tiago Pavini

CUIABÁ - A Arena Pantanal se transformou, ao menos durante duas horas, na capital chilena. Uma maré vermelha de torcedores tomou conta dos entornos do estádio. A três horas do início da partida, os chilenos já faziam a festa ao melhor estilo sul-americano: rojões, bumbo e trompete, mesmo debaixo de um sol escaldante. O australianos estavam mais acanhados, mas também marcaram presença em bom número, colorindo os arredores da Arena Pantanal de vermelho e amarelo.

Dentro do estádio, o que se via era a predominância de camisas vermelhas. Antes do início do jogo, durante a execução do hino nacional, os torcedores chilenos também seguiram os versos que a Fifa quer suprimir na base do gogó. E a seleção chilena retribuiu da melhor forma possível: logo aos 12 minutos de jogo, Alexis Sánchez aproveitou sobra de bola na pequena área e abriu o marcador. Pouco depois, Valdívia marcou um golaço, com a categoria ímpar de quem é o 10 da seleção. Os torcedores palmeirenses que também marcaram presença no estádio comemoram como se fosse gol do Palmeiras. E Valdívia comemorou com o famoso gesto de “chororô” para os australianos..

A torcida extasiada começou os gritos de olé, e não parou nem quando a Austrália diminuiu e ameaçou empatar. A todo hora, se ouvia a explosão (literalmente, considerando que havia rojões no meio da galera) de torcedores gritando o famoso “Chi chi chi, le le le, viva Chile”, e também empurrando o time com a canção “Vamos chilenos, que esta noche tenemos que ganar”.

Com o apoio dessa torcida apaixonada que invadiu o Mato Grosso, é até possível acreditar que os chilenos irão desbancar uma das seleções finalistas do ano passado. “Creemos en la Roja!”