A seleção da Argentina dá a seu torcedor uma impressão de total insegurança, como deixou clara a irregularidade vista nos últimos amistosos – a vitória sobre a Itália, seguida do vexame contra a Espanha. O que não inibe o torcedor argentino de garantir presença nos jogos da Copa de 2018. Nem um pouco. Pelo menos de acordo com o relatório de vendas de ingressos para as partidas, divulgado pela Fifa nesta terça. A Argentina é o terceiro país (e primeiro latinoamericano) a mais ter feito pedidos de entradas para as partidas na Rússia, com 15.006 ordens de compra.

No total de pedidos, foram 1.698.049 ingressos solicitados. De modo até esperado, o maior número de pedidos na primeira fase de vendas (desde setembro de 2017) e na segunda (desde o 13 de março passado) veio da Rússia: foram 216.134 pedidos, quase vinte vezes o número de pedidos vindos dos Estados Unidos, segundo país com mais compras no site da Fifa (16.432). O Brasil ficou com o sexto lugar, com 9.962 pedidos, atrás ainda de Colômbia (14.755) e México (14.372).

Com o final das duas primeiras fases – feitas na base do “quem pedir primeiro tem mais chances” -, a terceira e última fase de vendas terá início em 18 de abril, indo até o 15 de julho da final. A partir de então, a venda de ingressos dependerá da disponibilidade deles, de acordo com a partida.