O feito da Roma contra o Barcelona na Liga dos Campeões teve diversos protagonistas. O herói derradeiro, contudo, não era um dos nomes mais cotados. Kostas Manolas chegou como aposta à Itália e se tornou uma das referências na defesa giallorossa. De qualquer maneira, alçá-lo ao posto de salvador poderia soar como loucura. E é por estas alucinações que o futebol se faz tão apaixonante. O zagueiro grego era o homem certo no lugar certo. Sua cabeçada indefensável foi um dos momentos mais comemorados da história romanista. Não importa o que se passe daqui para frente, os torcedores carregarão uma gratidão infinita ao ouvirem o nome do camisa 44. É aquele que tornou o sonho possível e virou a face da insanidade que tomou conta da capital italiana na noite desta terça-feira.

Após o gol, Manolas lidou com as emoções de diferentes maneiras. Em sua comemoração, parecia pronto a explodir. “À Tardelli”, classificou a imprensa italiana, comparando a vibração do grego com aquela sentida por Marco Tardelli ao anotar seu gol na final da Copa do Mundo de 1982. De braços abertos e boca escancarada, o herói parecia vociferar o urro de toda a multidão presente nas arquibancadas. Então, depois de uma corrida sem rumo, parou à beira do campo para admirar a multidão, um tanto quanto incrédulo.

Ao apito final, Manolas se transformou em um semi-deus, tirando a camisa e contorcendo os músculos ao transmitir suas energias para os céus, extravasando tudo aquilo que vivera. O instante mais emblemático, porém, aconteceu quando o messias virou um mero humano. Enquanto os companheiros se esbaldavam e a torcida continuava estremecendo as tribunas, o defensor preferiu sentar no banco de reservas. Sozinho, chorava copiosamente. Tomava consciência do que proporcionou. Para onde conseguiu levar seu time, quando quase todos davam a eliminação como certa. Depois de marcar um dos gols contra na derrota dentro do Camp Nou, o camisa 44 se redimiu. E, não só isso, se consagrou.

“Eu não me importo em entrar para a história. Eu me importo com a Roma chegar às semifinais da Liga dos Campeões, eliminando um dos melhores times do mundo. Perdemos o primeiro jogo, mas continuamos acreditando. Sabíamos que nós poderíamos fazer isso e mostramos nossa força. Viemos de resultados ruins, cheios de estresse, mas demos tudo. Provamos que, com esta torcida nos apoiando, ninguém pode nos bater. Precisamos desta massa para nos empurrar”, declarou Manolas, após a partida. Ainda que negue, está na história.