A escolha de David Silva como o melhor em campo na vitória do Manchester City sobre o Watford, nesta terça, tinha uma explicação além das quatro linhas. Não que o espanhol tenha se saído mal no triunfo por 3 a 1, participativo com seus passes e sua visão de jogo. No entanto, a eleição feita pelos torcedores celestes parecia mais um afago ao meia, ausente nas partidas anteriores para cuidar de “questões particulares”. Segundo os relatos, o ídolo dos Citizens ganhou carta branca do clube para viajar à Espanha quando quisesse, mas sua privacidade foi mantida em sigilo. Já nesta quarta, o veterano explicou o que vem acontecendo.

“Quero agradecer a todas as mostras de carinho recebidas nestes dias, em especial aos meus companheiros, ao técnico e ao clube por compreenderem a situação. Também quero compartilhar com vocês o nascimento de meu filho Mateo, que aconteceu de forma extremamente prematura. Ele está lutando dia após dia graças à ajuda da equipe médica”, escreveu o espanhol.

David Silva segue em dúvida para os próximos compromissos do City. Ainda assim, Pep Guardiola demonstrou sua compreensão diante do episódio: “Ele está livre para ficar ou sair, depende apenas dele. David quer permanecer porque gosta muito de estar em campo, mas a família vem em primeiro lugar. Não importa se perdemos muitos pontos por causa da ausência dele. Eu nunca irei puni-lo. Alguns dias ele estará aqui, outros não, depende de como a família estará”.

O esforço do meia em estar em campo nesta terça-feira, mesmo com todas as preocupações familiares, ganha ainda mais notabilidade. E, com a braçadeira de capitão, deu uma mostra de profissionalismo extremo para conduzir o City à vitória. David Silva soma cinco gols e oito assistências na Premier League. Vinha sendo decisivo justamente no início de dezembro, sobretudo pelo tento anotado no clássico contra o Manchester United, que ratificou a liderança dos celestes na liga nacional.

Coincidência ou não, o anúncio de David Silva acontece apenas um dia depois do episódio lamentável envolvendo Jake Livermore. O jogador do West Bromwich discutiu com um torcedor do West Ham ao ser substituído durante o confronto entre as duas equipes. O homem nas arquibancadas provocou o adversário falando sobre a morte de seu filho recém-nascido em 2014. O West Brom publicou uma nota em apoio ao atleta, enquanto West Ham declarou que identificou e expulsou o responsável pelas ofensas. Os Hammers ainda iniciaram uma investigação ao lado da polícia metropolitana, antes de tomar as medidas cabíveis.