Com o advento da Copa do Mundo 2014, o futebol brasileiro enfim pôde jogar a pá de cal em um processo que já vinha engatinhando: a elitização do esporte. Com a construção de diversas arenas “padrão FIFA”, não só o ambiente da prática esportiva mudou, mas pouco a pouco o público (e seu comportamento) foi sendo também reconstruído.

VEJA TAMBÉM: O livro que discute a transformação da cultura torcedora no Brasil

Esse é o tema de mais um livro do selo Drible de Letra, que acontecerá em setembro: “Clientes versus Rebeldes – Novas culturas torcedoras nas arenas do futebol moderno”, de Irlan Simões. O lançamento em São Paulo acontecerá no dia 23/09 (sábado) às 19h no Restaurante Al Janiah (Rua Rui Barbosa, 269, Bela Vista). A entrada é gratuita.

– Debate: O Brasil na rota do futebol moderno –

Os estádios da maior cidade do Brasil vivem há 20 anos em verdadeiros “estados de sítio”. Proibições de bandeiras, banimentos, repressão policial desmedida, torcida única, ingressos a preços abusivos, ruas interditadas e até ameaça de privatização do Pacaembu – um dos templos do futebol nacional. Essas e outras faces do tal “futebol moderno” serão discutidas no lançamento de “Clientes versus Rebeldes” em São Paulo, com um timaço na mesa:

Flávio Campos – Professor da USP, coordenador do LUDENS (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas sobre Futebol e Modalidades Lúdicas) e fundador do AGIR (Arquibancada Ampla, Geral e Irrestrita)
Thiago Cassis – Membro do coletivo Futebol, Mídia e Democracia
Alex Minduín – Vice-presidente da Associação Nacional das Torcidas Organizadas;
Matias Pinto – Jornalista da Central 3

>>> Leia um capítulo do livro gratuitamente: O impacto do modelo inglês na “modernização” dos estádios brasileiros