Em qualquer mata-mata, as quartas de final já são uma fase adiantada o suficiente para ter gigantesca pressão. Erros não são perdoáveis – e nem são perdoados. E os zagueiros do Sporting reconheceram tal lição da maneira mais dura possível. Tanto Sebastián Coates quanto Jérémy Mathieu tiveram participação negativamente decisiva nos gols vistos no Wanda Metropolitano, pelo jogo de ida das quartas da Liga Europa. Sorte do Atlético de Madrid: fez 2 a 0 e levará vantagem considerável para a volta, na próxima quinta, em Lisboa.

O primeiro erro demorou pouquíssimo: meros 22 segundos se passaram entre a saída de bola e a dura punição do Atleti, que fez o gol mais rápido de sua história na Liga Europa. O Sporting trocava passes na defesa, até que Coates atravessou a bola na entrada da área, e Diego Costa foi esperto: interceptou o passe na meia-lua, tocou para a esquerda, e Koke estava lá para fazer 1 a 0.

O erro do zagueiro uruguaio foi impactante a ponto de desorientar os Leões por alguns minutos. Logo aos três, quase veio o segundo: em cobrança de escanteio, Diego Godín cabeceou para boa defesa de Rui Patricio. Só aos 13 o time lisboeta mostrou algum sinal de vida: Cristiano Piccini veio pela direita, mandou a bola para a área, e Bas Dost cabeceou à direita do gol defendido por Jan Oblak. Nada que perturbasse a clara superioridade dos mandantes alvirrubros na fase inicial do jogo – comprovada por chances como o chute de Lucas por cima do gol, aos 18 minutos.

No decorrer dos 45 minutos, o Sporting achou mais espaços para crescer. E teve a oportunidade de mudar o rumo da partida aos 32: Gelson Martins dominou a bola, livre após passe em profundidade, e chegou à área para a finalização, mas seu toque foi rebatido por Oblak. Porém, quando os visitantes estavam aprumados, outra falha defensiva dos Leões ampliou a vantagem colchonera, aos 40. Um passe foi na direção de Jérémy Mathieu, mas o zagueiro francês escorregou e deixou a bola passar sob suas pernas. Sorte de Antoine Griezmann: o francês foi rápido, dominou, e chegou sozinho à área para chutar na saída de Rui Patrício e marcar o segundo gol.

O segundo tempo começou, mas o dia terrível da zaga sportinguista seguiu do mesmo jeito. Aos três minutos, num lançamento, Coates tentou cortar… e a bola passou. Só que o erro de Diego Costa foi proporcional: sozinho na área, o atacante chutou em cima de Rui Patrício. O goleiro também defendeu outra conclusão do camisa 19 – à queima-roupa, da esquerda, quase sem ângulo, após passar por Coates. Depois, pouco de emoção se viu no Wanda Metropolitano. Aos 10, Diego Costa assustou ao ter o tornozelo torcido por uma entrada, mas conseguiu se recuperar. E o Atleti conseguiu manter o 2 a 0, para sua sorte – e alívio de Coates e Mathieu.